PUBLICIDADE

Norris crê que pilotos precisam mudar estilo de direção com novos carros da F1 2022

O piloto britânico disse não se sentir "nervoso", mas acredita que "todos vão ter de se adaptar" aos novos carros da Fórmula 1 em 2022

7 jan 2022 04h32
ver comentários
Publicidade
A Fórmula 1 viverá uma nova era a partir de 2022
A Fórmula 1 viverá uma nova era a partir de 2022
Foto: AFP / Grande Prêmio

HAMILTON E VETTEL EXTRAPOLAM PISTA E MOSTRAM GRANDEZA NA F1 2021

Embora tenha caído de desempenho na reta final da Fórmula 1 2021, Lando Norris teve temporada brilhosa pela McLaren. E conseguiu mostrar o fino de sua pilotagem, tirando o máximo do MCL35M, coisa que nem mesmo um experiente Daniel Ricciardo, seu companheiro de equipe, o fez ao longo do ano. Mas e quanto a 2022? Pode-se esperar que o britânico alcance o sarrafo que ele mesmo levantou? Norris não dá certezas, mas acredita que o novo carro-conceito da F1 exija que os pilotos mudem completamente o estilo de direção.

"Não sei se vou ser muito bom com o novo carro, ou se vou lutar um pouco", disse Norris, em coletiva de imprensa. "Acho que vai ser o mesmo caso para todos, todos vão ter de se adaptar porque é muito diferente", acrescentou.

"Nenhum estilo de direção hoje poderá ser exatamente o mesmo no próximo ano, teremos de mudar um pouco. Mas não estou nervoso, não gosto de nervosismo, mas tenho algumas dúvidas: como vou guiar? Vai ser um estilo de direção que me agrade, como um estilo natural ou um ao qual terei de me adaptar?", seguiu.

Lando Norris crê que precisará mudar seu estilo de direção com os novos carros de 2022 (Foto: McLaren)

No entanto, Norris acrescenta que a questão não será com o novo regulamento, já que a fabricação dos carros em si não terá muitas mudanças. A dúvida fica por conta de como enfrentar uma aerodinâmica mais simplificada, mas que promete, contudo, ser positiva para os competidores.

"Se você precisa de confiança na frenagem, nem sempre significa que o carro não é bom na frenagem. [A questão] pode estar na sua sensação em relação ao pedal do freio", explicou.

"É muito macio? É muito rígido? Você sabe quando você está prestes a travar os pneus ou algo assim, então, a forma como o carro é desenvolvido vai ser a mesma, mas não tenho ideia sobre o quão diferentes eles vão ser", concluiu.

O novo carro tem a missão de facilitar disputas por posição. O regulamento técnico de 2021, que pouco mudou desde 2017, leva a carros que geram muita turbulência — quem vinha atrás perdia rendimento e, por tabela, enfrentava dificuldade extra para fazer ultrapassagem. O impacto do novo regulamento, com aerodinâmica simplificada, é grande. Cálculos da F1 projetam que um carro de 2022 no ar sujo terá 86% do downforce que teria no ar limpo. Com os carros do ano passado, esse número era de apenas 55%.

Agora, as equipes trabalham para seguir as novas regras, mas sempre em busca de furos no regulamento. Através disso, é possível que a pré-temporada de fevereiro seja realizada com outras novidades inesperadas.

PRIMEIRA VITÓRIA E MAIOR CONSISTÊNCIA: OCON ESTÁ DE VOLTA?

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade