PUBLICIDADE

FIA até elogia Masi, mas abre chance de troca do diretor de prova após polêmicas de 2021

As diversas polêmicas na reta final da Fórmula 1 2021 colocaram o cargo de Michael Masi em xeque. Agora, até mesmo a FIA, apesar dos elogios, admite a possibilidade de trocar o diretor de provas da categoria

28 jan 2022 13h17
ver comentários
Publicidade
Michael Masi esteve no centro da polêmica sobre o GP de Abu Dhabi
Michael Masi esteve no centro da polêmica sobre o GP de Abu Dhabi
Foto: FIA / Grande Prêmio

RUSSELL NA WILLIAMS: TRÊS ANOS FORAM MESMO O SUFICIENTE?

A polêmica e dramática final em Abu Dhabi segue repercutindo no mundo da Fórmula 1. Primeiro, foi o Conselho Mundial da FIA [Federação Internacional de Automobilismo] removeu o nome de Michael Masi, diretor de provas, dos documentos oficiais no site e anunciou um cronograma para avaliar passo a passo as decisões tomadas em 2021. Agora, admite oficialmente a possibilidade de saída de Masi.

É interessante destacar que a FIA já trata Peter Bayer como novo diretor-esportivo de monopostos. Há um ano, o organograma oficial da federação trazia os nomes de Michael Masi e Nikolas Tombazis no posto. É um indicativo de mudanças, apesar de não haver anúncio oficial sobre Masi. O dirigente, em entrevista à emissora inglesa BBC, comentou sobre o futuro do diretor de provas.

"Michael fez um grande trabalho de diferentes maneiras, nós falamos para ele. Mas há, também, a possibilidade de termos um novo diretor de provas", comentou Bayer.

A ultrapassagem do título de Verstappen (Foto: Reprodução/TSN)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

O Mundial vem vivendo semanas de tensão desde o encerramento da temporada passada, que coroou Max Verstappen como campeão. A corrida em Yas Marina foi marcada por uma série de decisões contraditórias do diretor Michael Masi, que agora está no olho do furacão. Todas as atitudes, especialmente nas voltas finais da prova, estão sob investigação. Ainda, Lewis Hamilton se calou após a derroa sofrida na pista árabe. O inglês liderava a corrida e tinha nas mãos o oitavo título mundial, quando os procedimentos feitos sob o safety-car final acabaram por lhe tirar a chance. O heptacampeão bradou contra as ações e decidiu se afastar das redes sociais.

Bayer acredita que é preciso dividir as funções na Fórmula 1 para não sobrecarregar ninguém. "Estamos vendo de dividir as várias atividades com o diretor de provas, que também é diretor-esportivo, de segurança e delegado da pista", comentou com o jornalista austríaco Gerhard Kuntschick.

"Era simplesmente demais. As funções precisam ser divididas entre várias pessoas, isso reduz o fardo nas costas do diretor de provas. No futuro, a pessoa será capaz de se concentrar nas suas responsabilidades, sem distrações", seguiu.

Com o objetivo de afastar qualquer possibilidade de uma repetição das decisões controversas do GP de Abu Dhabi, a F1 planeja uma administração diferente para as corridas a partir de 2022.

Agora, há também planos para introduzir protocolos para que o diretor de prova tenha maior liberdade e um ambiente mais calmo para tomar as decisões necessárias durante os eventos da F1. Isso porque, ao mesmo tempo em que há um pesado questionamento quanto as ações de Masi, existe uma compreensão de que o diretor estava exposto, isolado e sob muita pressão, especialmente na parte final da temporada, devido à intensa briga pelo título entre Hamilton e Verstappen, que chegaram empatados à etapa final.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade