PUBLICIDADE

Ao lado de Domenicali, Briatore sugere retorno à F1: "Vai começar um novo capítulo"

Banido da Fórmula 1 no episódio conhecido como 'Singapuragate', Flavio Briatore gravou vídeo ao lado do CEO da categoria, Stefano Domenicali, anunciando um "novo capítulo"

19 out 2021 16h15
| atualizado em 21/10/2021 às 18h58
ver comentários
Publicidade
Flavio Briatore entre Nelsinho Piquet e Fernando Alonso, antes do ‘Singapuragate’
Flavio Briatore entre Nelsinho Piquet e Fernando Alonso, antes do ‘Singapuragate’
Foto: Renault / Grande Prêmio

Paddock GP #261 faz prévia de retorno da Fórmula 1 aos Estados Unidos

A Fórmula 1 vai passar por um período de extensas mudanças a partir do ano que vem, principalmente levando em consideração a entrada de um novo regulamento técnico, mas os novos carros podem não ser as únicas novidades na categoria em 2022. Flavio Briatore, ex-chefe de equipe de Benetton e Renault e banido da F1 no episódio do 'Singapuragate', deflagrado em 2009, pode estar de volta. O italiano postou um vídeo em seu Instagram no qual aparece ao lado do chefe da categoria, Stefano Domenicali, e avisa aos fãs para aguardarem "um novo capítulo".

"Nova energia, nova potência e novo entusiasmo pela Fórmula 1", disse o ex-dirigente no vídeo. "Um novo capítulo na Fórmula 1 está prestes a começar: vamos trazer a vocês toda a excitação, o entretenimento, a diversão e a energia que este fantástico esporte merece", completou Briatore na legenda da postagem. Vale ressaltar que Christian Horner, atual chefe de equipe da Red Bull, deu as boas vindas ao italiano: "É ótimo ver você se envolvendo com o esporte novamente", disse.

Briatore foi banido da Fórmula 1 por tempo indeterminado em 2009, após evidências trazerem à tona sua participação no 'Singapuragate' de 2008. Na ocasião, durante a disputa do GP de Singapura, o então chefe de equipe da Renault e o engenheiro da equipe, Pat Symonds, convenceram o brasileiro Nelsinho Piquet a bater de propósito na curva 17 do circuito, como forma de ativar o regime de safety-car na volta 14 e beneficiar seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, que conseguiu vencer a corrida.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Nelsinho Piquet bateu de propósito no GP de Singapura de 2008, no maior escândalo da história da Fórmula 1 (Foto: F1)

Um ano depois, após investigação liderada pela FIA, o então presidente Max Mosley decidiu banir Briatore, seu desafeto, por tempo indeterminado de qualquer esporte ligado à Federação. Assim, a última participação do italiano em uma corrida de Fórmula 1 foi no GP da Itália de 2009, etapa derradeira antes de seu banimento. Além disso, Symonds também foi banido, mas este por cinco anos.

Nelsinho Piquet recebeu imunidade por seu depoimento, que trouxe à tona o escândalo, considerado o maior da história da Fórmula 1. No entanto, o episódio acabou com qualquer chance de o piloto voltar a atuar na maior categoria do automobilismo mundial. Fernando Alonso, seu companheiro de equipe, não sofreu punições - apesar de indícios apontarem que o espanhol sabia do plano.

A próxima etapa da temporada 2021 da Fórmula 1 acontece neste fim de semana com a disputa do GP dos Estados Unidos, no Circuito das Américas. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade