0

Mundial de Atletismo pode ser em 2022, indica Sebastian Coe

Federação Internacional de Atletismo espera fornecer uma resposta o mais rápido possível sobre a qualificação para os Jogos de Tóquio

27 mar 2020
19h20
atualizado às 19h35
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
 
Visão geral de obstáculos em pisa de atletismo montada para Mundial de Atletismo, em Londres 07/08/2017 Kirby Lee-USA TODAY Sports
Visão geral de obstáculos em pisa de atletismo montada para Mundial de Atletismo, em Londres 07/08/2017 Kirby Lee-USA TODAY Sports
Foto: Reuters

Sebastian Coe, presidente da World Athletics (Federação internacional de atletismo), anunciou, nesta sexta-feira, que a entidade trabalha para reiniciar a temporada da modalidade e estuda mudanças que poderão ser necessárias no processo de qualificação para os Jogos de Tóquio, remarcados para 2021, por causa da pandemia do coronavírus.

O órgão espera ter uma série de reuniões a partir de agosto até outubro e desta forma espera oferecer para os atletas um calendário o mais rápido possível no momento que for seguro. "Ainda não sabemos a data dos Jogos do próximo ano", disse Coe, em um comunicado. "Mas uma vez que eles (o Comitê Olímpico Internacional e o governo japonês) definirem isso, vamos analisar o que vai causar de impacto ao nosso Mundial, em Oregon, no ano que vem." A previsão é de que a competição poderá ser adiada até 2022.

O órgão global do atletismo, segundo Coe, também espera fornecer uma resposta o mais rápido possível sobre mudanças para os processos de classificação dos Jogos de Tóquio. "No atletismo, a principal via de qualificação são os padrões estabelecidos em março de 2019", acrescentou Coe. "A partir de agora, todos os atletas que cumpriram os padrões de entrada para seu evento permanecerão qualificados para os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2021. Isso é aproximadamente 50% das vagas."

Uma grande revisão também está em andamento do calendário global de eventos, não apenas para os próximos dois anos, que terão grandes interrupções, mas a longo prazo. Um exemplo disso foi a Diamond League, que anunciou nesta sexta-feira o cancelamento das etapas de junho.

"A prioridade para todos nós agora é conter a pandemia, ficar saudável e ficar em casa", disse Coe. "Enquanto isso, vamos trabalhar para impulsionar nosso esporte para a frente. O mundo não será o mesmo depois desta pandemia."

 

Veja também:

As campanhas mais polêmicas do futebol brasileiro
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade