PUBLICIDADE

Western Union e Mercado Livre fazem parceria em transferências de recursos para o México

6 jul 2022 - 18h26
Ver comentários
Publicidade

A empresa de transferência de dinheiro Western Union anunciou nesta quarta-feira acordo com o Mercado Livre para permitir remessas digitais para o México.

A parceria permitirá que famílias no exterior enviem dinheiro por meio da Western Union, enquanto as do México poderão receber os recursos por meio do Mercado Pago, braço financeiro digital do Mercado Livre, disseram as duas empresas.

"A quantidade de tempo que poupamos às pessoas que não precisam ir a um local físico para sacar, achamos que é uma vantagem importante e... você não precisa carregar esse dinheiro de um lugar para outro", disse Pedro Rivas, diretor do Mercado Pago no México.

De acordo com as empresas, mais de 70% das transações são atualmente coletadas em dinheiro no México, onde a baixa penetração bancária significa que mais da metade de seus 126 milhões de habitantes não tem conta bancária.

Os envios de recursos para o México atingiram um recorde de 5,17 bilhões de dólares em maio, em grande parte devido à recuperação econômica dos Estados Unidos, o destino número 1 dos migrantes da nação latino-americana.

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, que muitas vezes se gaba do sólido crescimento das remessas recebidas pelo México, disse que podem atingir um recorde de 60 bilhões de dólares este ano, um aumento de 16% em relação a 2021.

Especialistas, no entanto, alertam que o fluxo de dinheiro pode diminuir nos próximos meses devido ao impacto de uma esperada recessão nos Estados Unidos.

"No primeiro semestre de 2022, há vários sinais negativos para o crescimento econômico dos Estados Unidos, que representam um risco negativo para as remessas de recursos", disse Gabriela Siller, diretora de pesquisa da empresa local Banco Base.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade