0

Wall St se afasta de recordes com preocupações sobre coronavírus e resultado da Cisco

13 fev 2020
11h56
atualizado às 12h56
  • separator
  • 0
  • comentários

Os principais índices de Wall Street se afastavam de máximas recordes nesta quinta-feira, pressionados pelas ações da Cisco após a decepcionante previsão trimestral pela empresa, enquanto um aumento nos novos casos de coronavírus na China pesava sobre o sentimento.

Placa da Wall Street em frente à Bolsa de Nova York
08/05/2013
REUTERS/Lucas Jackson/File Photo
Placa da Wall Street em frente à Bolsa de Nova York 08/05/2013 REUTERS/Lucas Jackson/File Photo
Foto: Reuters

A província chinesa no centro do surto de coronavírus registrou um aumento recorde de mortes e milhares de outras infecções ao utilizar um novo método de diagnóstico, lançando novas incertezas sobre a escala do surto de vírus.

Um dia antes, investidores haviam se apoiado em sinais de que a propagação do vírus estava diminuindo, o que catapultou os índices S&P 500 e Nasdaq a novas máximas históricas. O Dow Jones bateu um recorde na quarta-feira pela primeira vez desde 6 de fevereiro.

"As notícias sobre o vírus vindas da China são um pouco preocupantes, especialmente num momento em que investidores pensam que tudo havia ficado para trás", disse Paul Nolte, gestor de portfólio da Kingsview Asset Management em Chicago.

As ações da Cisco Systems Inc. caíam mais de 6%, na maior influência negativa para os três índices, depois das previsões fracas de receita e lucro da fabricante de equipamentos de rede.

O índice S&P para o setor de tecnologia, que subiu mais de 10% neste ano, perdia 0,4%. Sete dos 11 principais segmentos do S&P operavam em queda.

Às 12:52 (horário de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,39%, a 29.438 pontos, enquanto o S&P 500 perdia 0,37728%, a 3.367 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuava 0,17%, a 9.709 pontos.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade