0

Oratória e persuasão: como apresentar um CTA?

Saiba como melhor apresentar o call to action (CTA) em apresentações em público, reuniões ou outros tipos de situações de exposição.

7 out 2019
08h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Olá, Speaker!

Apresentar o call to action (CTA) em apresentações em público, reuniões ou outros tipos de situações de exposição de fala é um grande desafio, afinal, a forma de chamar as pessoas para determinada ação – seja essa ação a compra de um produto ou o fechamento de um contrato, por exemplo – deixou de ser tão explícita e passou a adquirir contornos muito mais sutis. E, ao mesmo tempo, mais eficazes.

Para entender melhor o que acabo de dizer, basta pensar um pouco em como são feitas as propagandas das grandes marcas, como agências bancárias, marcas de cosméticos, de automóveis ou até mesmo de refrigerantes.

Se você parar para refletir sobre essas propagandas, verá que o CTA quase nunca é direto: “compre isso” ou “consuma aquilo”. Ao contrário, há, quase sempre, uma história por trás do CTA, que geralmente mostra como a vida é muito melhor quando as pessoas adquirem tal produto ou compram tal serviço.

Nas apresentações em público ou reuniões com clientes, utilizar estratégias similares pode ser um enorme diferencial, aproximando você da sua audiência e ampliando consideravelmente as chances de que o CTA seja, de fato, aceito. Em tudo isso, está a chamada oratória persuasiva, que nada mais é do que a capacidade de inspirar alguém sobre algo, provocando, nesse alguém, certa tomada de atitude.

Mas quais são as melhores técnicas da oratória persuasiva? O que fazer para ser um profissional mais convincente? É o que veremos neste artigo. Confira!

Foto: Shutterstock

Seja interessante!

Voltemos aos exemplos das publicidades: você prestaria atenção caso o discurso fosse apenas: “compre o meu produto porque ele é feito com esse material e é muito eficaz para essa função”? Ou soa muito mais atrativo ver as histórias (quase sempre emotivas) contadas nessas propagandas?

Bem, a estratégia utilizada por essas grandes marcas é a de ser mais interessante, adotando um discurso que retém a atenção da audiência. E, em situações de exposição de fala, o caminho é o mesmo: é preciso encontrar maneiras de ser mais interessante do que as tantas distrações com as quais competimos pela atenção do nosso público.

Uma das melhores formas de ter uma fala mais envolvente é contar uma história, demonstrando os impactos positivos que a sua audiência terá caso aceitar o seu CTA.

Demonstre segurança e confiabilidade!

É muito improvável que a sua audiência se sinta inspirada a tomar qualquer tipo de decisão se você não lograr transmitir segurança sobre aquilo que diz. Projetar uma imagem de confiança é realmente saber falar sobre o produto, ideia ou serviço que apresentamos. Mais que isso: é acreditar no que estamos dizendo, transmitindo um interesse genuíno capaz de gerar nos demais o mesmo interesse ou, no mínimo, uma curiosidade sobre o que estamos falando.

Para inspirar alguém, demonstrar que somos seguros sobre o que defendemos e que somos profissionais e pessoas confiáveis é um requisito. Por isso mesmo, praticar a sua fala com antecedência (conhecendo aquilo que diz) e trabalhar a linguagem não-verbal são cuidados determinantes.

Saiba ouvir o outro!

Em muitíssimos casos, as pessoas estão mais interessadas em falar de si mesmas do que em ouvir os outros. Sobre isso, é importante nos atentarmos para dois aspectos: o primeiro é que ter isso em mente pode ser algo que usamos a nosso favor e o segundo é tentar não cometer esse erro ao propormos um CTA.

O que isso quer dizer? Se sabemos que nossa audiência quer falar sobre si mesma, escutar o que ela diz é importante. Ouvir suas experiências é uma forma de criar um laço e, mais que isso, de definir estratégias para apresentar o CTA.

Nesse mesmo caminho, temos que ter em mente que falar somente sobre nós mesmos ou sobre o produto, ideia ou serviço que vendemos não é o melhor caminho. É importante expandir o leque no nosso discurso, compreendendo que parte importante dessa interação é, justamente, ouvir os demais.

 

A oratória persuasiva e todas as suas facetas são determinantes em diversas situações – tanto pessoal quanto profissionalmente. Para conhecer outras técnicas e, a partir delas, aprimorar a forma como apresenta um CTA, invista em conhecimento e práticas sobre comunicação!

 

Fonte:

https://www.thespeaker.com.br/falar-publico-treinamento-oratoria/

Veja também:

BC corta Selic para 3% ao ano
The Speaker
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade