PUBLICIDADE

PMEs registram o maior volume de empregos gerados em 2023

De acordo com dados do Caged, as PMEs foram responsáveis por 73% das vagas de trabalho criadas

9 out 2023 - 06h10
(atualizado às 17h08)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Adobe Stock

As pequenas e médias empresas (PMEs) registraram, no último mês de agosto, o maior volume de empregos gerados em todo o ano de 2023. De acordo com pesquisa do Sebrae feita a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), as PMEs foram responsáveis por 73% do total de vagas de trabalho criadas nesse período. Ao todo, o Brasil registrou 220,8 mil novas contratações, a segunda melhor do ano, sendo 161 mil somente nas micro e pequenas empesas.

No acumulado do ano, o país já contabiliza aproximadamente 1,4 milhão de novos empregos. Desse universo, as PMEs contribuíram com o saldo de 988 mil postos de trabalho, o que representa 71,2% do total. Enquanto isso, as médias e grandes empresas (MGEs) geraram 247,5 mil empregos, correspondendo a 17,8% do total de vagas criadas.

O presidente do Sebrae, Décio Lima, comemora o resultado. “Esse está sendo um ano fenomenal para as micro e pequenas empresas. Mantivemos um patamar positivo de empregos gerados ao longo do ano e a tendência para os últimos meses é de um crescimento ainda maior com as vagas de trabalho temporário”, comenta.

"A confirmação de crescimento do PIB, o comportamento da inflação e a retomada do poder de compra das famílias, graças ao Desenrola Brasil, nos fazem confiar que teremos o melhor Natal dos últimos anos, com uma economia aquecida. O cenário é de otimismo e as pequenas empresas têm uma responsabilidade significativa nesse resultado", diz ele.

Setor de Serviços continua em alta

Os setores que mais contribuíram para a geração de empregos em agosto de 2023, considerando as PMEs, foram Serviços (78.904), Comércio (38.544) e Construção (25.296). Entre as Médias e Grandes empresas, os setores de Serviços (29.951), Indústria da Transformação (12.714) e Agropecuária (7.415) se destacaram. Em agosto, nenhum desses setores apresentou saldo negativo de empregos.

No acumulado de 2023, os destaques entre as micro e pequenas empresas continuam sendo os setores de Serviços (521.750), Construção (198.825), Comércio (124.967) e Indústria da Transformação (100.166). Já entre as MGEs, os setores que mais se empregaram foram Serviços (152.601), Indústria da Transformação (65.716), Construção (24.983) e Agropecuária (16.537).

As principais atividades econômicas, de acordo com a Classificação Nacional por Atividades Econômicas (CNAE), que contribuíram para a geração de empregos em agosto, foram: “Fabricação de açúcar em bruto” (10.258 empregos gerados); “Locação de mão-de-obra temporária” (10.192 empregos); “Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas” (8.503 empregos gerados); “Transporte rodoviário de carga” (7.418 empregos gerados) e “Serviços combinados de escritório e apoio administrativo” (5.746 empregos gerados).

Especificamente entre os pequenos negócios, confira as atividades que mais contribuíram, para o total destacado de novos empregos foram: “Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas” (8.814 empregos gerados); “Construção de edifícios” (6.467 empregos gerados); “Transporte rodoviário de carga” (5.690 empregos gerados) e “Serviços combinados de escritório e apoio administrativo” (5.029 empregos gerados). Entre as médias e grandes empresas, as atividades se destacaram: “Fabricação de açúcar em bruto” (10.192 empregos gerados); “Locação de mão-de-obra temporária” (9.102 empregos gerados); “Atividades de vigilância e segurança privada” (3.966 empregos gerados); “Ensino fundamental” (2.302 empregos gerados) e “Transporte rodoviário de carga” (1.797 empregos gerados).

Fonte: Sebrae

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade