PUBLICIDADE

Não Caia Nessa

Golpes digitais: conheça os mais comuns e veja dicas da Anatel para se proteger

Agência lançou sites que têm informações importantes para a proteção no ambiente digital e orientações sobre como se prevenir e o que fazer ao cair em um golpe

19 out 2023 - 12h28
(atualizado às 13h27)
Compartilhar
Exibir comentários
Anatel organizou lista dos golpes e fraudes relacionados ao setor de telecomunicações que são mais comuns hoje em dia.
Anatel organizou lista dos golpes e fraudes relacionados ao setor de telecomunicações que são mais comuns hoje em dia.
Foto: Nilton Fukuda/Estadão / Estadão

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou na terça-feira, 17, como parte da campanha Outubro CiberSeguro, dois sites focados em segurança no ambiente digital e prevenção contra golpes. As páginas indicam cursos gratuitos para desenvolver habilidades digitais e ter uma vida online mais segura e fornecem materiais sobre a proteção das crianças online, além de trazer orientações sobre como proteger dados pessoais, senhas, contas em redes sociais e e-mails, compras online, serviços bancários, entre outros.

Em meio a todo esse conteúdo, a Anatel organizou uma lista dos golpes e fraudes relacionados ao setor de telecomunicações que são mais comuns hoje em dia, explicando como cada um funciona, como as pessoas devem agir para se prevenir e o que fazer caso alguém caia em uma dessas situações.

Veja a lista dos golpes mais comuns, segundo a Anatel, e as orientações de prevenção da agência:

Sequestro da linha telefônica

  • Como ocorre: O número de telefone da vítima passa a funcionar de um chip controlado pelo criminoso, podendo receber chamadas e mensagens destinadas à vítima, incluindo códigos de autenticação de serviços e bancos. O objetivo geralmente é realizar fraudes financeiras ou acessar informações pessoais.
  • Como evitar e o que fazer se cair no golpe: O primeiro sinal de alerta é se o celular não estiver realizando chamadas, enviando e recebendo mensagens de texto, nem acessando a internet fora da rede wi-fi. Ao verificar essas condições, é preciso comunicar imediatamente à operadora por meio dos canais oficiais de atendimento. Segundo a Anatel, as empresas têm medidas de prevenção contra esses incidentes. Se o problema for confirmado, a orientação da agência é registrar um Boletim de Ocorrência (BO) na Polícia Civil do Estado, para proteção contra prejuízos e para gerar estatísticas para as autoridades.

Obtenção de dados de celular roubado

  • Como ocorre: Criminosos conseguem acessar informações pessoais e profissionais, senhas, aplicativos e contas de vítimas de aparelhos roubados.
  • Como evitar: A orientação da Anatel é manter sempre o celular seguro de acessos indevidos, com uma senha segura para desbloqueio, backup de informações importantes e opção de localizar o aparelho ativa. Não mantenha senhas anotadas no celular de forma desprotegida.
  • O que fazer se cair no golpe: Em caso de roubo de celular, a orientação é registrar um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil e comunicar imediatamente aos bancos e à operadora. Segundo a Anatel, o bloqueio do aparelho muitas vezes pode ser solicitado no momento da realização do BO e o bloqueio da linha deve ser solicitado à operadora.

Chamadas falsas (spoofing)

  • Como ocorre: Criminosos geram chamadas por meio de números falsos, que aparentam ser de empresas, bancos ou instituições conhecidas, para aplicar golpes.
  • Como evitar: É preciso desconfiar de ligações em nome de empresas, órgãos ou instituições, principalmente se solicitarem pagamentos de taxas ou então dados pessoais, senhas e informações bancárias. Mesmo que o número aparente ser oficial, ele pode ser falso. A orientação da Anatel é nunca fornecer nenhum tipo de informação. Na dúvida, desligue e verifique a veracidade da ligação junto à empresa, órgão ou instituição, nos canais oficiais de atendimento. Uma dica importante é usar outro aparelho telefônico para entrar em contato com a empresa, já que criminosos costumam "prender a linha" para se passar novamente por funcionários legítimos.
  • O que fazer se cair no golpe: A recomendação é registrar um Boletim de Ocorrência e comunicar o problema à empresa, órgão ou instituição referida pelo fraudador, sempre entrando em contato pelos meios oficiais. Dependendo de quais informações foram passadas aos criminosos, também é importante verificar se há movimentações estranhas nas contas bancárias e lembrar de alterar senhas.

Golpe da falsa central de atendimento ou do 0800

  • Como ocorre: Criminosos entram em contato com a vítima informando algum problema em um banco ou empresa conhecida, indicam número 0800 falso e, quando a vítima liga para o número, tentam obter dados, vantagens financeiras ou acesso ao celular da vítima.
  • Como evitar: A Anatel afirma que é preciso sempre desconfiar desse tipo de ligação. A orientação da Anatel é nunca fornecer nenhum tipo de informação. Na dúvida, desligue e verifique a veracidade da ligação junto à empresa, órgão ou instituição, nos canais oficiais de atendimento. Uma dica importante é usar outro aparelho telefônico para entrar em contato com a empresa, já que criminosos costumam "prender a linha" para se passar novamente por funcionários legítimos.
  • O que fazer se cair no golpe: Registrar um Boletim de Ocorrência e comunicar o problema à empresa, órgão ou instituição referida pelo fraudador, sempre entrando em contato pelos meios oficiais. Dependendo de quais informações foram passadas aos criminosos, também é importante verificar se há movimentações estranhas nas contas bancárias e lembrar de alterar senhas.

Golpe de engenharia social

  • Como ocorre: Criminosos se passam por funcionários de órgãos públicos ou de empresas conhecidas para tentar conseguir dados pessoais ou financeiros da vítima.
  • Como evitar: A principal recomendação é nunca compartilhar dados pessoais e bancários com estranhos, por mensagem ou telefone. Na dúvida, desligue e verifique a veracidade da ligação junto à empresa, órgão ou instituição, nos canais oficiais de atendimento. Uma dica importante é usar outro aparelho telefônico para entrar em contato com a empresa, já que criminosos costumam "prender a linha" para se passar novamente por funcionários legítimos.
  • O que fazer se cair no golpe: Registrar um Boletim de Ocorrência e comunicar o problema à empresa, órgão ou instituição referida pelo fraudador, sempre entrando em contato pelos meios oficiais. Dependendo de quais informações foram passadas aos criminosos, também é importante verificar se há movimentações estranhas nas contas bancárias e lembrar de alterar senhas.

Furto de contas de redes sociais e aplicativos

  • Como ocorre: Criminoso consegue informações de login da vítima, toma controle de suas contas e realiza transações e contatos em seu nome.
  • Como evitar: As principais orientações são: criar senhas fortes e diferentes para cada conta, ativar a verificação em duas etapas, sempre que possível, e nunca compartilhar senhas e outras informações de login com ninguém, mesmo que se passe por funcionário de qualquer empresa, órgão ou instituição. É preciso ainda ter atenção ao receber mensagens estranhas, solicitações de amizade suspeitas nas redes sociais ou notar alterações nos dados pessoais nessas redes.
  • O que fazer se cair no golpe: É preciso entrar em contato com a empresa, órgão ou instituição em questão, por meio dos canais oficiais para informar o ocorrido. A Anatel afirma que muitas plataformas possuem e-mails ou canais específicos para essas denúncias. Dependendo do ocorrido, a vítima deve pedir o bloqueio da sua conta e cancelamento de qualquer compra não autorizada, ou então solicitar uma nova senha e verificar se seus dados pessoais não foram alterados. Ao suspeitar que alguma conta em rede social foi atacada, é preciso agir rapidamente para recuperar o acesso e evitar maiores danos, além de alterar a senha imediatamente e verificar se há alguma atividade não autorizada na conta - se houver é preciso denunciar aos administradores da rede social e avisar aos contatos. Também é preciso fazer uma varredura no dispositivo, com um antivírus confiável e atualizado.

Golpe do WhatsApp falso

  • Como ocorre: Criminoso usa foto da vítima em um perfil de WhatsApp com número desconhecido e envia mensagens aos seus contatos tentando obter vantagens financeiras. Muitas vezes, o criminoso que se passa pela vítima inicia a conversa falando que trocou de telefone e este é seu novo número.
  • Como evitar: A Anatel recomenda ocultar a foto de perfil no WhatsApp para quem não for contato e tomar cuidado com fotos postadas nas redes sociais, protegendo as imagens nas opções de privacidade. Converse com os contatos mais próximos para que eles não caiam no golpe. Outra dica é não adicionar um novo contato sem antes confirmar a sua identidade.
  • O que fazer se cair no golpe: A orientação é registrar um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil, alertar os contatos sobre o uso indevido da foto e orientar esses contatos a denunciarem o perfil do criminoso no WhatsApp (clicando no número e na opção de denunciar contato). A agência ainda recomenda que a vítima denuncie o perfil para o e-mail support@whatsapp.com, descrevendo a prática criminosa. O corpo do e-mail deve conter o número de telefone no formato internacional +55 + DDD + (número do telefone) e informar que a conta usa a imagem indevidamente para aplicar golpes. Também solicite a desativação da conta em razão da prática criminosa.
Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade