PUBLICIDADE

Mudanças de hábito e de matéria-prima geram menos resíduos no delivery

iFood tem 18 milhões de pedidos sem talheres plásticos e se prepara para oferecer opção sem canudo e sachês; empresa já trabalha com embalagens sustentáveis e apoia ações de reciclagem

2 dez 2021 - 10h23
Compartilhar
Exibir comentários

O crescimento do número de pedidos de comida por delivery despertou nos consumidores a preocupação com a quantidade de lixo gerada a cada refeição. Afinal, o que fazer com as embalagens e os itens recebidos? Em busca dessa resposta, e comprometido em zerar o uso de plásticos no delivery até 2025, o iFood promove iniciativas que incentivam não só a redução e a reciclagem, mas também o uso de embalagens sustentáveis.

Ao fazer um pedido, muitas vezes o cliente recebe itens que nem sequer utiliza. No iFood, já é possível receber a refeição sem talheres plásticos. No aplicativo, com apenas um toque, o cliente decide se quer uma entrega assim - e mais de 90% fazem essa escolha quando a opção é disponibilizada pelo restaurante. "É importante mandar para a casa das pessoas o que é essencial, e os itens que utilizamos de forma menos inteligente são os plásticos de uso único. Eles são feitos de uma matéria-prima que demora a se degradar e que se usa uma vez só e joga fora", diz André Borges, head de Soluções Sustentáveis.

iFood promove iniciativas que incentivam reciclagem e uso de embalagens sustentáveis.
iFood promove iniciativas que incentivam reciclagem e uso de embalagens sustentáveis.
Foto: Divulgação/ iFood / Estadão

Com essa pequena mudança de hábito dos clientes, até agora já são mais de 18 milhões de pedidos sem talheres plásticos. Nos próximos meses, o iFood vai ampliar essa opção para pedidos sem canudo e sachês. "Essa é uma solução simples que consegue movimentar a cadeia inteira. Se o cliente para de pedir, o restaurante precisa comprar menos", comenta Borges.

Além de reduzir o consumo de plástico e, em consequência, os impactos ambientais, reciclar é uma alternativa que também beneficia projetos de cooperativas. O iFood já tem mais de cem pontos de descarte voluntário de resíduos recicláveis (PEVS) em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Distrito Federal. A reciclagem - os PEVS têm capacidade de destinar 400 toneladas ao mês às cooperativas - garante que esses resíduos não vão parar em lixões, aterros ou oceanos. Por meio do Recicla Bot iFood, um sistema de inteligência artificial via Whatsapp, é possível saber para onde destinar os resíduos e como reciclar da forma correta.

Além de diminuir o uso de plásticos, o iFood também incentiva a utlização de embalagens mais sustentáveis. Por meio do iFood Shop, restaurantes parceiros podem adquirir produtos feitos de matérias-primas menos agressivas ao meio ambiente, como a mandioca. Só em 2020, o iFood vendeu mais de 300 mil embalagens sustentáveis e, em apenas cinco meses, já triplicou a quantidade de fornecedores desse tipo de produto. A missão do iFood é alimentar o futuro do mundo - e isso passa também por um compromisso com o meio ambiente e a sustentabilidade.

Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade