PUBLICIDADE

Lilly espera lucro forte em 2024 com aumento da demanda por medicamento para perda de peso

6 fev 2024 - 12h13
Compartilhar
Exibir comentários

A Eli Lilly previu nesta terça-feira um lucro para 2024 acima das estimativas de Wall Street, devido ao aumento da demanda por seu medicamento para perda de peso recentemente aprovado, e disse que o tratamento ajudou a reduzir os sintomas de uma doença hepática gordurosa comum e difícil de tratar em um estudo em estágio intermediário.

As vendas do medicamento para obesidade Zepbound atingiram 175,8 milhões de dólares nas primeiras semanas após seu lançamento, no início de dezembro, depois de ter sido aprovado pela Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA, na sigla em inglês) em novembro.

As ações da fabricante de medicamentos sediada em Indianápolis subiram quase 5% nas negociações de pré-mercado, depois de terem subido cerca de 11% em janeiro, tornando a Lilly a oitava maior empresa dos EUA em capitalização de mercado e a empresa de saúde mais valiosa.

"Acho que (fiquei) mais surpreso com as vendas do Zepbound. Eu não esperava nem perto disso", disse Troy Harmon, diretor de investimentos da Henssler Financial.

A Lilly disse que expandirá sua produção, mas, dado o tempo necessário para colocar a nova capacidade totalmente em operação, a empresa espera que a demanda por seus medicamentos para diabetes e obesidade Mounjaro e Zepbound supere a oferta em 2024.

A Lilly e sua principal rival no mercado de obesidade, a Novo Nordisk, estão testando seus tratamentos para outros benefícios à saúde, como apneia obstrutiva do sono e doença renal crônica, para garantir uma cobertura mais ampla para os medicamentos.

A demanda explosiva pelo Mounjaro, que também havia sido usado sem prescrição médica para perda de peso, e agora pelo Zepbound, levou a uma onda de compras de ações da Lilly, impulsionando o valor de mercado da farmacêutica para mais de 600 bilhões de dólares.

A farmacêutica informou que a tirzepatide, o princípio ativo do Zepbound e do Mounjaro, também atingiu o objetivo principal em um estudo sobre um tipo de doença hepática gordurosa agora chamada de esteatohepatite associada à disfunção metabólica, ou Mash na sigla em inglês.

A Lilly disse que o medicamento ajudou até 74% dos pacientes a obter ausência da doença sem piora da cicatrização do fígado em 52 semanas, em comparação com 13% dos pacientes que receberam placebo. A empresa não forneceu mais detalhes, mas um banco de dados de ensaios clínicos informou que os pacientes do estudo apresentavam fibrose em estágio 2 ou 3.

A empresa tem investido em instalações de fabricação nos EUA e na Europa para aumentar o fornecimento de tirzepatide, anunciando em novembro que construiria sua primeira fábrica na Alemanha por 2,47 bilhões de dólares.

A Lilly disse que espera lucros ajustados para 2024 de 12,20 dólares a 12,70 dólares por ação. Isso coloca o ponto médio um pouco à frente das estimativas dos analistas de 12,43 dólares por ação, de acordo com dados da LSEG.

A Lilly informou que as vendas do Mounjaro no trimestre subiram de 279,2 milhões de dólares no ano passado para 2,21 bilhões de dólares, superando facilmente as expectativas de 1,8 bilhão de dólares, de acordo com a BMO Capital Markets.

O lucro do quarto trimestre, de 2,49 dólares por ação em uma base ajustada, superou as expectativas de Wall Street em 27 centavos.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade