1 evento ao vivo

"Investidores podem tudo, mas não ganham eleição", diz Dilma

Comentário veio em resposta ao questionamento de um repórter sobre a reação eufórica nos mercados financeiros à votação de Aécio Neves no primeiro turno

6 out 2014
20h35
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>"Eu desconfio que os investidores podem fazer tudo, mas não ganham uma eleição. Quem ganha e vota no Brasil chama-se povo brasileiro", afirmou Dilma Rousseff</p>
"Eu desconfio que os investidores podem fazer tudo, mas não ganham uma eleição. Quem ganha e vota no Brasil chama-se povo brasileiro", afirmou Dilma Rousseff
Foto: Fernando Teixeira / Futura Press

A presidente Dilma Rousseff (PT), que disputará o segundo turno da eleição presidencial contra o candidato Aécio Neves (PSDB), afirmou nesta segunda-feira que "investidores podem fazer tudo, mas não ganham uma eleição".

O comentário veio em resposta ao questionamento de um repórter sobre a reação eufórica nos mercados financeiros locais à votação expressiva de Aécio obtida no primeiro turno.

"Eu desconfio que os investidores podem fazer tudo, mas não ganham uma eleição. Quem ganha e vota no Brasil chama-se povo brasileiro", afirmou.

A presidente é alvo de fortes críticas no mercado financeiro, que prefere a política econômica mais ortodoxa prometida por Aécio.

Nesta segunda, a Bovespa chegou a subir 8% e o dólar a cair mais de 3% ante o real, em reação ao resultado da votação no domingo. O principal índice da bolsa brasileira, o Ibovespa, terminou o dia em alta de quase 5% e a moeda norte-americana fechou em baixa de 1,43%.

Na votação de domingo, Dilma teve 41,6% dos votos válidos, ou quase 43,3 milhões, enquanto Aécio ficou com 33,6%, o equivalente a 34,9 milhões. A candidata Marina Silva (PSB) teve 21,3% (22,2 milhões de votos).

Veja também:

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) defende representatividade mínima de 30% de mulheres na direção dos partidos
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade