PUBLICIDADE

Explode número de empreendedores estrangeiros MEIs no Brasil

Microempreendedores individuais oriundos de outros países atuam principalmente com vestuário e beleza

21 jun 2023 - 06h20
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: ASN / Reprodução

Muitos estrangeiros que vêm para o Brasil têm encontrado no empreendedorismo uma alternativa de vida. Levantamento feito pelo Sebrae revela que, atualmente, existem 74,2 mil Microempreendedores Individuais (MEI) ativos de outras nacionalidades. 

O número é 73% superior ao registrado em 2019, período pré-pandemia, quando existiam 42,9 mil, e corresponde a 5,7% do total de imigrantes no país, de acordo com o Ministério da Justiça, que levantou um universo de 1,3 milhão de imigrantes em 2021.

Foto: ASN / Reprodução

O estudo realizado pelo Sebrae, com base em dados da Receita Federal de maio de 2023, também apurou as atividades em que os empreendedores estrangeiros mais atuam. Um a cada quatro trabalham com comércio ou fabricação de roupas. 

A área da beleza também está entre as mais procuradas, com um universo de 6% de estrangeiros, seguida pela de atividades de ensino, com 5%, e alimentação e bebida, com 4%. Entre as dez nacionalidades que mais têm estrangeiros empreendedores no Brasil, sete são da América Latina. Juntos, Venezuela, Bolívia, Colômbia, Argentina, Uruguai, Peru e Uruguai concentram 56% dos MEIs estrangeiros.

Foto: ASN / Reprodução

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, ter o próprio negócio tem sido a forma mais acessível para muitos estrangeiros conseguirem uma fonte de renda no país.

“Muitos estrangeiros, entre eles refugiados, veem no empreendedorismo uma forma de inclusão social e econômica. A figura jurídica do MEI, criada há 15 anos, torna mais fácil ainda essa inclusão dos estrangeiros na economia brasileira e, por isso, temos acompanhado esse crescimento de formalização nos últimos anos”, pontua ele.

Foto: ASN / Reprodução

Como os estrangeiros podem se formalizar

O estrangeiro pode se formalizar como microempreendedor individual através da plataforma gov.br. Contudo, é necessário ter Carteira Nacional de Registro Migratório ou Documento Provisório de Registro Nacional Migratório ou Protocolo de Solicitação de Refúgio, que podem ser solicitados via cadastro no departamento de Polícia Federal com a indicação do nº de registro. 

Para estrangeiros com visto temporário, será permitido registro como MEI apenas para cidadãos de países membros do Mercosul e dos Estados Associados e que possuam residência temporária de dois anos, dessa forma, poderá ser empresário, titular ou sócio ou administrador. Atualmente, não é mais necessário fazer uma Declaração de Imposto de Renda de PF.

10 atividades que mais possuem MEI estrangeiros

  • • Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios: 11.145 (15,02%)
  • • Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas: 7.487 (10,09%)
  • • Cabeleireiros e outras atividades de tratamento de beleza: 4.249 (5,72%)
  • • Atividades de ensino não especificadas anteriormente: 3.845 (5,18%)
  • • Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas: 2.919 (3,93%)
  • • Serviços de catering, bufê e outros serviços de comida preparada: 2.243 (3,02%)
  • • Atividades de publicidade não especificadas anteriormente: 2.096 (2,82%)
  • • Comércio varejista de outros produtos novos não especificados anteriormente: 1.813 (2,44%)
  • • Serviços especializados para construção não especificados anteriormente: 1.771 (2,39%)
  • • Ensino de idiomas: 1.570 (2,12%)

10 países de origem que mais possuem MEI

  • • Venezuela: 10.360 (14%)
  • • Bolívia: 9.882 (13,3%)
  • • Colômbia: 6.613 (8,9%)
  • • Argentina: 5.727 (7,7%)
  • • Haiti: 4.148 (5,6%)
  • • Uruguai: 3.450 (4,6%)
  • • Peru: 3.280 (4,4%)
  • • Senegal: 3.022 (4,1%)
  • • Portugal: 2.927 (3,9%)
  • • Paraguai: 2.617 (3,5%)

Fonte: ASN / Agência Sebrae

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade