3 eventos ao vivo

Estrangeiros batem recorde em compras de títulos chineses em julho

1 ago 2020
15h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Investidores estrangeiros fizeram compras líquidas recorde de títulos chineses negociados através do programa Bond Connect em julho, impulsionados por prêmios de rendimento recorde sobre a dívida dos EUA.

As entradas líquidas de títulos chineses por meio do Bond Connect, que dá aos investidores globais acesso ao mercado de títulos onshore do país por meio de Hong Kong, totalizaram 75,5 bilhões de yuans (ou 10,83 bilhões de dólares) em julho, informou a Bond Connect em comunicado nesta sexta-feira.

A Bond Connect é uma joint venture entre o Sistema do Comércio de Divisas da China (CFETS) e a Hong Kong Exchanges and Clearing Ltd.

O volume total negociado foi de 446,9 bilhões de yuans em julho, disse a Bond Connect Co. É um aumento de 5,9% em relação ao mês anterior, mas abaixo do recorde de 478,2 bilhões de yuans em março, quando a rápida expansão internacional do novo coronavírus fez os investidores entrarem em um movimento de aversão a risco.

Os analistas dizem que o aumento dos spreads reflete as diferentes abordagens dos bancos centrais dos EUA e da China.

O Federal Reserve tem pequenas e obscuras esperanças de uma rápida recuperação econômica, enquanto a China está se recuperando com consistência da crise do coronavírus, permitindo que o Banco Popular da China (PBOC) saia modo de emergência para se concentrar mais nos riscos financeiros e na redução da especulação.

O Fed manteve na quarta-feira as taxas de juros próximas de zero e prometeu continuar injetando dinheiro na economia, enquanto a pandemia da Covid-19 segue causando estragos nos negócios e nos gastos dos consumidores.

Veja também:

BC corta Selic para 3% ao ano
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade