PUBLICIDADE

Economia e investimentos: termos que você precisa saber antes de investir

A economia brasileira possui muitos índices e resultados que interferem nos investimentos. Conheça alguns deles!

13 out 2021 14h05
ver comentários
Publicidade
Entender o cenário econômico pode ajudar você a saber mais sobre a rentabilidade de investimentos
Entender o cenário econômico pode ajudar você a saber mais sobre a rentabilidade de investimentos
Foto: Shutterstock / Finanças e Empreendedorismo

Todos os dias, o que acontece na economia brasileira apresenta impactos nos investimentos. Portanto, é essencial que você, como investidor, esteja por dentro de assuntos importantes para esse cenário assim como os principais termos utilizados na economia. 

Isso porque, grandes mudanças podem impactar diretamente no seu dinheiro. E, não importa em qual setor: seja na política ou uma catástrofe, qualquer oscilação naquilo que é considerado "normal" na economia afeta o desempenho dos seus investimentos.

Por isso, separamos agora alguns índices ou temáticas fundamentais para o campo da economia que podem afetar suas aplicações e investimentos. Confira!

Inflação

Essa aqui é uma grande conhecida dos brasileiros, mas poucos são os que conhecem na prática os impactos na economia. Conhecido também como IPCA ou Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, é ele quem mede o aumento dos preços na economia brasileira.

Mas você pode se perguntar: como isso acontece? E a resposta é bem simples! Mensalmente, o IBGE calcula uma cesta de produtos consumidos por uma família cuja renda seja de 1 a 40 salários mínimos. 

Quem define essa cesta de produtos é a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), que determina os itens consumidos e a proporção de acordo com a renda familiar. 

Vale lembrar que esses números mudam de acordo com a capital e é a partir daí que o IBGE consegue dizer se o preço dessa cesta aumentou ou diminuiu para os consumidores brasileiros. 

Ah, e este é um valor confiável, já que o IPCA é oficialmente o índice que monitora a inflação do país. Ou seja, se o IBGE falou, então é verdade!

Produto Interno Bruto (PIB)

Outro importante indicador que pode ser atrelado, mesmo que de forma indireta, a algum variados tipos de investimentos é o PIB. 

O Produto Interno Bruto é a soma de tudo que é produzido em um país dentro do período de um ano.

Para realizar e chegar ao total desse cálculo, é necessário juntar tudo o que foi produzido de bens e serviços no Brasil dentro do período determinado. Por fim, esse é um indicador valioso para analisar o crescimento da produção no país.

O cálculo do Produto Interno Bruto é realizado também pelo IBGE. Então é essencial estar atento às publicações e divulgações realizadas pelo instituto.

Lei da Oferta e Procura

Outro indicador marcante para investimentos é a Lei da Oferta e Procura ou Lei de Oferta e Demanda. Essa é uma lei econômica que determina completamente o valor de mercado daquele produto ou serviço de acordo com disponibilidade e quantid ade.

De forma resumida, a Lei da Oferta e Procura diz que: quanto maior a oferta, menor a procura e preço mais baixo. E, quanto menor a oferta, maior a procura e preço mais alto.

Essa é uma premissa muito presente principalmente para quem investe em criptomoedas. Afinal, a maioria das criptomoedas hoje possui uma determinada quantidade ofertada e quanto mais essa oferta se aproxima da quantidade disponível, mais o seu valor de mercado sobe. 

Uma outra forma de exemplificar a Lei da Oferta e Procura fora desse mercado é utilizando o exemplo da pandemia. No início, quando a demanda por álcool em gel subiu, o mercado ainda não estava pronto. Por isso, era muito comum encontrar esse item a valores exorbitantes já que a disponibilidade era pouca no mercado. 

Além das criptomoedas e das ofertas do dia a dia, a Lei da Oferta e Procura também é requisitada para quem realiza investimentos em ações e fundos imobiliários. Portanto, o jeito é ficar de olho e exercitar o olhar de oferta e procura nos investimentos.

Outros indicadores de inflação

Além do IPCA, o país possui outros indicadores de inflação que funcionam para mercados mais específicos, mas que também funcionam para investimentos.

Entre eles, estão o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede o poder aquisitivo e econômico entre pessoas que possuem entre 1 e 5 salários mínimos e o cálculo é realizado pelo IBGE.

E o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), que mede a variação de preços ao produtor, consumidor e na construção civil. Esse é um indicador muito utilizado para reajustar aluguéis, imóveis e tarifas públicas e é calculado pela FGV.

Por isso, antes de realizar investimentos é importante se certificar do que está acontecendo na economia para, aí sim, realizar algum tipo de aplicação. Afinal, essas informações secundárias podem afetar completamente a rentabilidade do seu dinheiro.

Fonte: Terraço Econômico.

Finanças e Empreendedorismo
Publicidade
Publicidade