3 eventos ao vivo

Dólar sobe 3% com reeleição de Dilma e chega a R$ 2,56

O valor do dólar caiu 2,26% na última sexta-feira, em meio a rumores de que o desempenho de Aécio nas urnas seria melhor

27 out 2014
10h08
atualizado às 13h58
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Às 9h08 desta segunda-feira, a moeda americana subia 3,09%, a R$ 2,5318, logo após as eleições</p>
Às 9h08 desta segunda-feira, a moeda americana subia 3,09%, a R$ 2,5318, logo após as eleições
Foto: Getty Images

Com a reeleição de Dilma Rousseff, o dólar chegou a disparar mais de 4% logo depois da abertura dos negócios nesta segunda-feira. A moeda bateu os de R$ 2,56 para depois recuar ao níveis registrado em 2008, auge da crise econômica mundial.

Às 9h08, a moeda americana subia 3,09%, a R$ 2,53. Na máxima, chegou a subir 4,21%, a R$ 2,56, maior nível intradia desde 5 de dezembro de 2008, quando atingiu R$ 2,619.

Na sexta-feira, o valor do dólar havia caído 2,26% em meio a rumores de que o desempenho de Aécio nas urnas seria melhor.

Nesta manhã, o Banco Central dará continuidade às intervenções diárias no mercado de câmbio, com oferta de até 4 mil swaps com vencimentos em 1º de junho e 1º de setembro de 2015. A operação ocorrerá entre 9h30 e 9h40 e o resultado será conhecido a partir das 9h50.

O BC também fará nesta sessão mais um leilão de rolagem dos swaps que vencem em 3 de novembro, que equivalem a US$ 8,84 bilhões (aproximadamente R$ 21,92 bilhões), com oferta de até 8 mil contratos.

Até agora, a autoridade monetária já rolou cerca de 80% do lote total.

Veja como ficaram os resultados das Eleições 2014 nos Estados Veja como ficaram os resultados das Eleições 2014 nos Estados

Curso de investimento na Bolsa de Valores Curso de investimento na Bolsa de Valores
Quer começar a investir na Bolsa? Aprenda sobre ações, pregão eletrônico e como realizar os investimentos. Curso certificado pelo MEC, inscreva-se e comece já!

Veja também:

BC corta Selic para 3% ao ano
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade