PUBLICIDADE

Viagens corporativas voltam a crescer após a pandemia

Viagens corporativas tiveram crescimento de 15% em junho deste ano, em comparação com o mesmo mês de 2019

27 jul 2022 - 06h00
Ver comentários
Publicidade
Foto: Adobe Stock

Um dos setores mais impactados pela pandemia, o de viagens corporativas, começa a apresentar uma retomada no mês de junho. As viagens corporativas tiveram alta de 15% em junho deste ano, na comparação com o período pré-pandemia, em 2019, de acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira de Viagens Corporativas (ABRACORP). No mês de junho, o segmento faturou R$ 972 milhões

No semestre, a comparação com 2019 mostra queda de 13,8%, puxada pelo desempenho do segmento internacional, porém, a projeção para o ano é de expansão de 20%.

Já as viagens de incentivo ― um estilo de viagem corporativa mais voltada a premiação e motivação de colaboradores ― tiveram no primeiro semestre deste ano um crescimento de 37%, caso comparado ao mesmo período de 2019, segundo dados da TGK Travel, empresa especializada em viagens de incentivo. 

Demanda reprimida pela pandemia

Embora os dados indiquem um forte crescimento no setor, a TGK acredita que grande parte disso é devido a uma demanda reprimida do período pandêmico: "Esse ano estamos tendo um crescimento exponencial de viagens de incentivo. Acreditamos que isso se deve tanto a vontade das pessoas de saírem de casa e não aguentarem mais eventos online, como também as viagens que foram desmarcadas devido a pandemia estarem sendo retomadas agora", explica Thais Sacchelli, Diretora de Eventos e Viagens de Incentivo da TGK Travel. 

A retomada também é observada por Silvio Sallowicz, CEO da Duo & Ecco, empresa que fornece eventos e viagens corporativas: “Hoje, o mercado de viagens corporativas está em um movimento de retomada bastante positivo. Viagens que haviam sido contratadas em 2019 para ocorrer em 2020 e tiveram que ser congeladas em razão da pandemia estão sendo retomadas agora em 2022 e várias já estão com data marcada em 2023, quando esperamos uma retomada do setor ainda mais expressiva”. 

Até o momento, em 2022 a companhia faturou 50% da meta com relação a 2019, e espera até o final do ano retomar o mesmo patamar de 2019. O CEO da empresa comenta ainda sobre o que observa como tendência no setor: “As viagens internacionais continuam sendo as mais procuradas quando pensamos em incentivo e destinos como Estados Unidos, Portugal e destinos como Tahiti, Tailândia, Indonésia, Maldivas e África do Sul são tendência para 2023”.

Redação Dinheiro em Dia
Publicidade
Publicidade