2 eventos ao vivo

Economia

Com preço em queda, vale a pena comprar ação da Petrobras?

Sergio Moraes / Reuters

Papéis estão baratos, mas desempenho ruim na Bolsa fez a empresa cair da 1ª para a 5ª posição entre as maiores companhias brasileiras

20 jan 2015
08h07
  • separator
  • 0
  • comentários

Chega uma hora em que o poupador pensa em diversificar suas aplicações para fazer seu dinheiro render mais do que na tradicional e segura caderneta de poupança. Um dos caminhos é investir no mercado de ações. Entre as empresas de capital aberto no Brasil, a Petrobras, uma das maiores petroleiras do mundo, salta aos olhos de possíveis novos investidores. Mas é um bom momento para investir na estatal?

As ações estão baratas e a empresa se tornou a maior produtora de petróleo do mundo, ao atingir a marca de 2,209 milhões de barris/dia no terceiro trimestre do ano passado. No entanto, analistas ouvidos pelo Terra dizem que o momento pede cautela com os ativos da companhia.

Embora a petroleira não venha apresentando problemas de produção, os recentes escândalos de corrupção, o adiamento da publicação do balanço do terceiro trimestre e a queda dos preços do petróleo em todo o mundo têm prejudicado o desempenho da Petrobras na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa).

A incerteza quanto ao rombo no caixa ocasionado pelos desvios investigados pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, faz com que analistas não recomendem a aquisição dos ativos. “Para quem está fora e quer entrar, acho que o momento é mais de cautela. Tem que observar o quão profundo vai a investigação da PF sobre o tamanho do rombo e a publicação do balanço da empresa”, diz Raphael Figueredo, analista da Clear Corretora.

O balanço do terceiro trimestre, que deveria ter sido publicado até 14 de novembro do ano passado, ainda não foi divulgado. Isso porque a empresa de auditoria PricewaterhouseCoopers (PwC) se recusou a assinar a revisão do balanço, em função das denúncias de corrupção.

<p>Visão aérea da plataforma P-52 da Petrobras na Bacia de Campos; companhia se tornou a maior produtora de petróleo do mundo no terceiro trimestre do ano passado</p>
Visão aérea da plataforma P-52 da Petrobras na Bacia de Campos; companhia se tornou a maior produtora de petróleo do mundo no terceiro trimestre do ano passado
Foto: Bruno Domingos / Reuters

“Se não resolver o problema [do balanço], o caixa termina entre o final de abril e o início de maio. Sem o balanço, a empresa não pode emitir ações, dividendos, entre outras coisas. Não recomendo a exposição ao ativo”, afirma Celson Placido, estrategista-chefe da XP Investimentos.

Dados recentes sobre o desempenho da empresa no mercado acionário são desfavoráveis. Até o dia 15 de outubro de 2014, a Petrobras era a maior empresa brasileira de capital aberto. Dois meses e meio depois, no dia 6 de janeiro, a empresa caiu para a quinta posição, sendo superada por Ambev, Itaú Unibanco, Bradesco e Vale.

Nessa mesma data, as ações ordinárias (com direito a voto) da petroleira fecharam cotadas a R$ 8,06, menor valor desde 2004, enquanto que as preferenciais (com prioridade na distribuição de dividendos) atingiram R$ 8,33, patamar mais baixo desde 2005.

De acordo com dados da consultoria Economatica, o valor de mercado da petroleira no início de setembro do ano passado, quando estourou a Operação Lava Jato, era de R$ 310,9 bilhões. No dia 13 deste mês, o valor de mercado era de R$ 116,1 bilhões, o que representa uma desvalorização de R$ 194,7 bilhões.

Alternativas
Os analistas recomendam que novos investidores busquem outras opções. Neste momento, eles destacam papéis de bancos e empresas de educação. “O setor financeiro sempre tem dinheiro. Mesmo com a alta dos juros, há um forte retorno para os bancos”, afirma Placido. “O setor educacional se destaca por causa do crescimento da procura pelo Fies [programa de Financiamento Estudantil] e do ensino à distância”.

No caso de quem possui ações da petroleira, o melhor a fazer é não se desesperar porque também não é um bom momento para vender os papéis. O mercado acredita que a publicação do balanço  dependendo do que o relatório indicar – e uma retomada nos preços do petróleo, ou até mesmo uma mudança de diretoria, podem fortalecer a estatal.

“Quem possui [papéis da Petrobras] em carteira deve manter, pensando no longo prazo”, diz Figueredo. “Já novos investidores devem lembrar que há vida além da Petrobras.”

Curso de investimento na Bolsa de Valores Curso de investimento na Bolsa de Valores
Quer começar a investir na Bolsa? Aprenda sobre ações, pregão eletrônico e como realizar os investimentos. Curso certificado pelo MEC, inscreva-se e comece já!

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade