0

Chefe do FMI defende Powell após Trump chamar Fed de "louco"

11 out 2018
10h42
atualizado às 11h25
  • separator
  • comentários

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, defendeu o chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, nesta quinta-feira, um dia após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter criticado o banco central norte-americano.

Chairman do Fed, Jerome Powell, se prepara para testemunhar em comitê do Senado dos EUA 
17/07/2018
REUTERS/James Lawler Duggan
Chairman do Fed, Jerome Powell, se prepara para testemunhar em comitê do Senado dos EUA 17/07/2018 REUTERS/James Lawler Duggan
Foto: Reuters

"Eu não associaria Jay Powell à loucura", disse Lagarde à CNBC em uma entrevista. "Ele - e membros de seu conselho - apresenta-se como extremamente sério, sólido e certamente interessado em basear suas decisões em informações reais."

Trump chamou o Fed, que vem elevando a taxa de juros, de "louco" em resposta à queda de Wall Street depois que os índices S&P 500 e Dow Jones registraram suas maiores perdas em oito meses. A queda provocou uma onda de vendas globais que levou as ações europeias a uma mínima de mais de 18 meses nesta quinta-feira e derrubou as ações asiáticas.

Preocupações com custos mais altos de empréstimos estimularam as vendas de ações dos EUA nos últimos dias, enquanto um aumento nos rendimentos dos Treasuries e sólidos dados econômicos dos EUA levantaram preocupações de que o Fed pode acelerar o ritmo de elevação na taxa de juros.

"Na verdade, é uma correção que estamos esperando há muito tempo, mas eu realmente discordo do que o Fed está fazendo", disse Trump a repórteres na quarta-feira.

"Eu acho que o Fed está cometendo um erro. Acho que o Fed ficou louco", acrescentou Trump, que escolheu Powell para chefiar o banco, mas criticou publicamente o Fed em seu mandato.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade