PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Campos Neto diz que BC precisa de tempo para entender reprecificação de ativos e efeitos na política monetária

19 abr 2024 - 19h01
(atualizado às 19h40)
Compartilhar
Exibir comentários

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, avaliou na noite desta sexta-feira que, embora a reprecificação recente no mercado brasileiro se deva principalmente ao cenário externo, parte deste movimento está ligado à mudança da meta fiscal do governo e a autarquia precisa de tempo para entender os efeitos disso em sua função de reação.

Desde a semana passada as taxas futuras de juros vêm subindo no Brasil, assim como o dólar, na esteira da percepção, expressa também na curva de juros norte-americana, de que o Federal Reserve adiará o início do processo de cortes de juros.

No Brasil outro fator passou a impulsionar as taxas e o dólar: a decisão do governo Lula de reduzir a meta fiscal para 2025 de superávit de 0,5% do PIB para resultado primário zero.

Neste cenário, nos últimos dias a curva de juros brasileira passou a precificar corte de apenas 0,25 ponto percentual da taxa básica Selic em maio -- e não de 0,50 ponto percentual, como vinha indicando o BC em suas comunicações mais recentes. Atualmente a Selic está em 10,75% ao ano.

Em evento com investidores em Washington, Campos Neto afirmou na noite desta sexta-feira que o BC precisa de tempo para entender o que a reprecificação significará para a função de reação da instituição. Ao mesmo tempo, ele reforçou a mensagem de que não há uma "relação mecânica" entre mudanças na área fiscal e a política monetária.

"É preciso olhar como a reprecificação afeta a função reação", afirmou.

Campos Neto avaliou também que os mercados estão "muito bem comportados", considerando os acontecimentos mais recentes, e disse que não fez nenhuma mudança em sua comunicação desde o último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), em março. Sobre este aspecto, ele argumentou que apenas revisitou a comunicação mais recente.

Em sua fala, Campos Neto também considerou que os últimos dados de inflação foram bons, ponderando que o BC não reage a um único número, ainda que seja importante observá-lo.

O presidente do BC também voltou a pontuar que surgiram algumas surpresas positivas no crescimento interno e que instituições revisaram as projeções para o PIB em 2024. O mercado de trabalho aquecido segue como um foco de atenção, segundo ele.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade