PUBLICIDADE

Ana Hickmann contrata empresa de Roberto Justus e Paulo Guedes para reestruturar dívida milionária

Anúncio foi feito pela apresentadora em suas redes sociais

7 dez 2023 - 17h56
(atualizado às 18h25)
Compartilhar
Exibir comentários
Ana Hickmann, apresentadora
Ana Hickmann, apresentadora
Foto: @instagram

A apresentadora Ana Hickmann, que enfrenta dívidas que equivalem a milhões de reais, anunciou em suas redes sociais nesta quinta-feira, 7, que agora é cliente da Legend Investimentos, cuja sócia majoritária é a Legend Capital, empresa fundada por Roberto Justus com objetivo de gerenciar fortunas e oferecer suporte em investimentos de grande porte.

Além de Justus, a empresa conta com outros nomes conhecidos para prestar auxílio à apresentadora: o ex-ministro da Economia, Paulo Guedes, que é sócio da organização, e Daniella Marques, ex-presidente da Caixa Econômica Federal no governo de Jair Bolsonaro. Além disso, a Legend Investimentos conta também com a expertise de Sergio Eraldo Salles, também sócio da companhia e veterano nos negócios. 

Em uma publicação no Instagram, Ana disse aos seguidores que estava "apresentando seu novo time" e acrescentou: "mudanças importantes estão acontecendo e, no meio de um turbilhão de coisas, pessoas que já eram especiais na minha vida hoje estão ao meu lado mais do que nunca".

A apresentadora relatou que a Plataforma Oceano passará a cuidar de sua imagem exclusivamente. "E pra fazer a minha reestruturação econômica, eu conto com a assessoria da @legend.investimentos, com minha amiga @oficialdanimarques, que segurou a minha mão e agora traz todo seu expertise e da equipe para me apoiar", acrescentou ela na postagem.

Ana Hickmann se pronuncia sobre publicações com 'indiretas' para o ex-marido: 'São fatos':

Dívidas

Ana Hickmann e Alexandre Correa estão sendo cobrados na Justiça pela dívida com bancos e instituições financeiras em valores que, somados, ultrapassam R$ 5 milhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Antes mesmo de denunciar Alexandre Correa por violência doméstica e lesão corporal no último dia 11, a empresa dos dois, a Hickmann Serviços Ltda, com sede no bairro Vila Romana, em São Paulo, já acumulava essas dívidas milionárias.

Embora tenha dito não saber o valor exato das cobranças, em entrevista concedida ao Domingo Espetacular, no último dia 26, a apresentadora confirmou que a empresa tem dívidas e que esse foi um dos fatores para o conflito com Correa. 

Segundo o Estadão, foi encontrada uma cobrança por despesas do condomínio Place Royale, localizado em São Paulo, que tramita na 5ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP), com valor de R$ 41.978,43. Na ação, são citados como requeridos tanto o nome de Correa quanto o de Ana.

Caso Ana Hickmann: 6 atitudes que também são agressões contra a mulher Caso Ana Hickmann: 6 atitudes que também são agressões contra a mulher

O Banco Safra também cobra o ex-casal. De acordo com informações disponíveis no site do TJ/SP, a instituição financeira cobra uma dívida no valor de R$ 1.226.789,42 em nome de Alexandre Bello Correa e Ana Lucia Hickmann Correa. Em outro processo, a cobrança recai sob a Hickmann Serviços Ltda, no valor de R$ 356.968,98.

O Banco do Brasil também faz cobranças. Um dos processos disponíveis diz respeito a uma cobrança no valor de R$ 1.272.427,97. O caso tramita na 14ª Vara Cível de São Paulo e teve início em julho de 2023. A última movimentação do processo foi no dia 2 de novembro de 2023, quando um ato do processo foi certificado pela Justiça.

No Foro de Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo, há outra cobrança de título extrajudicial contra a Hickmann Serviços Ltda. Dessa vez, por parte da cooperativa de crédito Sicredi. O valor da ação é de R$ 2.451.840,60.

Contra a Hickmann Serviços Ltda também constam outras cobranças, como uma ação de despejo por inadimplência de aluguéis no valor inicial de R$ 333.775,00. Em setembro, segundo informação disponível no site do TJ/SP, foi feito um acordo entre as partes. O caso agora aguarda uma decisão do juiz da 2ª Vara Cível de São Paulo.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade