PUBLICIDADE

'Só discuto 2026 depois de 2024', diz Jair Bolsonaro após elogiar Tarcísio e Caiado

Ex-presidente e governadores cotados como herdeiros políticos de Jair Bolsonaro em 2026 participaram da Agrishow, maior feira de agronegócio do País

30 abr 2024 - 11h17
(atualizado em 2/5/2024 às 09h01)
Compartilhar
Exibir comentários

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que ainda é cedo para discutir um nome para a eleição presidencial de 2026. Daqui a dois anos, o ex-chefe do Executivo deverá apoiar um candidato para a disputa à Presidência, por estar inelegível até 2030 por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nesta segunda-feira, 29, Bolsonaro teceu elogios aos governadores de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), e de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), possíveis herdeiros políticos dele.

Ao lado dos governadores na Agrishow, principal feira do agronegócio do País, realizada em Ribeirão Preto, o ex-presidente disse à CNN Brasil que, no momento, está pensando no pleito municipal de 2024. "Só discuto (as eleições de) 2026 depois de 2024?, afirmou Bolsonaro que, momentos antes, disse para seus apoiadores ficarem tranquilos porque, caso ele não retorne ao Planalto, plantou "sementes ao longo desses quatro anos (de governo)".

No discurso, Bolsonaro afirmou que considera o governador de São Paulo "uma pessoa fantástica com uma capacidade quase inigualável" e que dificilmente será superado. Já o governador de Goiás, segundo o ex-presidente, representa uma semente da direita que tem "condições de germinar e dar bons frutos ao País".

Embora Tarcísio apareça à frente de Caiado em pesquisa de intenções de voto sobre as eleições de 2026, realizada em março pelo instituto Paraná Pesquisas, o governador paulista sinaliza o desejo de concorrer à reeleição ao Palácio dos Bandeirantes. O governador de Goiás, pelo contrário, não esconde a vontade de concorrer à Presidência com o apadrinhamento do ex-presidente.

Ainda no interior de São Paulo, no domingo, 28, os dois governadores, o deputado federal Ricardo Salles (PL-SP) e outros aliados participaram de um ato Bolsonaro enquanto ocorria a cerimônia de abertura da Agrishow. O evento contou com a presença do vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB) e do ministro da Agricultura, Carlos Fávaro (PSD).

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade