PUBLICIDADE

Reality Shows

Alane protesta contra projeto de lei que equipara aborto a homicídio e perde seguidores

A quarta colocada do "BBB 24" fez questão de se posicionar contra o PL 1904, que eleva penas para aborto em casos de estupro

15 jun 2024 - 17h05
(atualizado às 17h50)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Instagram/Alane Dias / Pipoca Moderna

A quarta colocada do "BBB24", Alane Dias, causou alvoroço nas redes sociais neste sábado (15/6) ao se posicionar firmemente contra o Projeto de Lei 1904. Em um vídeo compartilhado em suas plataformas, a atriz demonstrou sua revolta com a proposta que equipara o aborto a homicídio, mesmo em casos de estupro. "Vocês conseguem ver o quanto isso é grave?", questionou a paraense, visivelmente indignada.

Críticas ao projeto

Alane explicou que o projeto de lei visa modificar a atual legislação, aumentando as penas para mulheres que realizarem aborto em casos de estupro após determinado tempo de gestação. "Esse projeto basicamente obriga que a vítima seja mãe do filho de um estuprador. O aborto no Brasil, em caso de estupro, é um direito da vítima", enfatizou a ex-BBB. Para ela, a mudança não só retira um direito conquistado, mas também pune as vítimas de forma desproporcional.

A atriz não poupou críticas aos responsáveis pelo projeto, destacando que os políticos deveriam focar em combater a violência sexual, e não em criminalizar as vítimas. "Algo que foi feito para amparar essas mulheres, agora visa criminalizá-las. A gente não pode deixar isso acontecer", argumentou Alane. Ela ainda ressaltou a discrepância nas penalidades propostas, onde a vítima acabaria com uma pena maior que a do estuprador. "Em resumo, se uma criança vítima de estupro engravidar e escolher interromper a gravidez, o PL 1904 pode condená-la em até 20 anos de prisão. O aborto legal se torna um crime mais severo do que o estupro", ela escreveu ao lado do vídeo.

No fim do vídeo, Alane ainda fez um apelo para que seus seguidores ajudem a barrar a aprovação da PL 1904. Ela explicou como se posicionar contra o projeto através do site do governo e concluiu com um recado enfático: "Criança não é mãe e estuprador não é pai".

Repercussão nas redes sociais

Desde que compartilhou o vídeo, Alane perdeu cerca de 40 mil seguidores no Instagram. Ela também recebeu críticas de ex-fãs conservadores que discordaram de seu posicionamento. "Mais uma esquerdista, deixando de seguir", comentou um internauta. "Você caiu nessa desculpa esfarrapada pra liberar o aborto? Deixando de seguir agora! Extremamente desapontada com o seu posicionamento", criticou outro.

Entretanto, Alane foi muito mais elogiada pela coragem de usar sua influência para conscientizar os seguidores. "O verdadeiro papel de uma influencer, parabéns, Alane!", valorizou um seguidor. "Necessário demais se pronunciar nesses momentos", apontou um segundo. "Por mais pessoas que influenciem assim na internet!", aplaudiu outra internauta.

No X (antigo Twitter), a frase "Alane estamos com você", em reação à perda de seguidores da ex-BBB, entrou nos tópicos mais comentados do sábado. Uma usuária da rede social usou o seguinte argumento para puxar a tag: "'Alane tem que perder seguidores mesmo para aprender a ficar calada'", esse foi um dos milhares de comentários que me enojou. Imagina querer calar uma mulher sobre algo que se refere ao seu próprio corpo".

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade