PUBLICIDADE

Fafá de Belém reclama de ausência do Norte no Rock in Rio: 'Não faz parte do Brasil?'

Festival anunciou dia exclusivamente brasileiro nesta segunda, 29, mas deixou artistas da região de fora; evento diz estar em negociação com artistas de outras regiões do País

30 abr 2024 - 12h32
(atualizado às 13h56)
Compartilhar
Exibir comentários

A cantora Fafá de Belém criticou a ausência da região Norte no Dia Brasil, anunciado pelo festival Rock in Rio nesta segunda-feira, 29. A data, marcada para 21 de setembro, terá 73 atrações de 14 gêneros musicais ou estilos, mas deixou artistas da região de fora.

O Estadão entrou em contato com a assessoria do festival, que disse estar em negociação com artistas de outras regiões do País, incluindo a Norte. "O line-up do dia 21 de setembro, como anunciado durante coletiva de imprensa na tarde de ontem, apesar de divulgado, ainda está em construção e em formação", afirmou. Leia mais abaixo.

Fafá de Belém critica ausência de artistas do Norte do Brasil no dia exclusivamente brasileiro do Rock in Rio.
Fafá de Belém critica ausência de artistas do Norte do Brasil no dia exclusivamente brasileiro do Rock in Rio.
Foto: Tiago Queiroz/Estadão / Estadão

"A Amazônia não faz parte do Brasil? A cultura amazônica, nortista, não é parte deste país?", questionou Fafá em uma publicação feita no Instagram nesta terça, 30. Ela citou nomes que poderiam estar no line-up do evento, como Dona Onete, Gaby Amarantos, Joelma e Aíla.

"Onde estou eu?", perguntou, citando diversas manifestações artísticas do Norte que também poderiam estar representadas no festival, como as guitarradas do Pará, o tecnobrega e os artistas indígenas. "O Norte será sempre visto como peça decorativa de festas da elite? É muito triste sentir na pele a força da realidade batendo na nossa cara", escreveu.

A artista lamentou que o maior festival de música do Brasil tenha um dia dedicado à música brasileira que "nos coloca [artistas do Norte] da porta para fora". "Mais uma vez, nos provam que o Norte continua sendo um artigo folclórico usado como e quando querem, para uma imagem 'cool'. Pertencimento é muito diferente do uso por conveniência. Nós aprendemos isso a duras penas, e exigimos respeito", disse.

O Dia Brasil foi anunciado durante evento para a imprensa na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. Cada ritmo ou estilo terá, no total, aproximadamente uma hora e meia de shows, e cada atração vai cantar cerca de três músicas, segundo a organização.

Será a primeira vez que artistas da música sertaneja, estilo mais ouvido no País, irão cantar no evento. A principal atração do gênero será a dupla Chitãozinho & Xororó, mas também vão se apresentar Ana Castela, Luan Santana, Simone Mendes, Junior (filho de Xororó) e a Orquestra Heliópolis.

Também haverá outros nomes de outros estilos, como Capital Inicial, NX Zero, Zeca Pagodinho, Lulu Santos, Marcelo D2, Livinho e Buchecha. Nos demais dias, o Rock in Rio mescla músicos e bandas estrangeiras, como Deep Purple, Mariah Carey e Ed Sheeran, e brasileiras, como Ivete Sangalo, Belo, Iza, Planet Hemp, Os Paralamas do Sucesso e Barão Vermelho.

Nota do Rock in Rio

Em nota enviada ao Estadão na terça, o festival disse estar em negociação com artistas de diferentes regiões do País, incluindo a Norte, e que o line-up do Dia Brasil ainda está "em construção e em formação". "[A organização] reforçou que trará novidades e surpresas até o dia da apresentação", afirmou.

Leia a nota completa:

"O line-up do dia 21 de setembro, como anunciado durante coletiva de imprensa na tarde de ontem (29), apesar de divulgado, ainda está em construção e em formação. Artistas de outras regiões do país, entre elas a Norte, estão em negociação com a organização, que, como reforçou, trará novidades e surpresas até o dia da apresentação.

O Dia Brasil propõe um grande movimento social, de união e respeito de todos, com engajamento e direitos da música Deixa o Coração Falar, revertidos para duas causas sociais, e em parceria com o Ação da Cidadania e a Gerando Facões. O formato único dos shows deste dia, que envolve diversas colaborações inéditas entre os artistas, traz com ele desafios artísticos e logísticos significativos. Importante destacar que o Rock in Rio olha para a diversidade como um todo no line-up de todos os palcos e um exemplo disso foi o Show Para Pop, já realizado no Palco Susnet, capitaneado por Fafá de Belém com grandes nomes do Pará, e que se tornou um dos shows mais emblemáticos da história deste palco."

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade