PUBLICIDADE

Vendedor de acarajé troca tabuleiro por passarelas da Europa

Natural de Feira de Santana, na Bahia, Matheus Hava tem se tornado um nome forte na moda e é requisitado por grandes marcas internacionais

14 jul 2022 - 05h00
(atualizado em 21/7/2022 às 10h39)
Ver comentários
Publicidade
Matheus Hava, modelo e ex-ambulante
Matheus Hava, modelo e ex-ambulante
Foto: Reprodução Instagram / @matheus.hava

Natural de Feira de Santana, na Bahia, Matheus Hava, tem se tornado um nome forte no cenário fashion internacional. O modelo de 25 anos já é requisitado por marcas consagradas, como Calvin Klein, Lacoste e Dior, e já estampou diferentes editoriais e publicações do exterior.

Mas o sucesso no universo da moda é recente. Apesar de sonhar com uma carreira na moda desde criança, a falta de representatividade negra nas passarelas o fez pensar que ali não era seu lugar. "Sempre gostei de acompanhar, mas não via pessoas como eu naquele universo", diz.

De origem humilde, além de estudar, logo aos 6 anos teve que colocar os pés no chão, arregaçar as mangas e ajudar a família a vender acarajé pelas ruas de sua cidade natal. O que Matheus Hava não sabia é que a veia empreendedora da mãe seria o fio condutor que faria a "ligação direta" com seu sonho. 

Educado para ser independente e nunca desistir, Hava cresceu e tentou conciliar o curso superior em Administração ao trabalho em uma academia. Mas a necessidade de suporte ao negócio da família falou mais alto e ele precisou trancar a faculdade.

'Boy from Rio'

Decidido a crescer, ainda que com pouca idade, aos 20 anos ele se mudou para o Rio de Janeiro. Os três meses hospedados na casa da prima foram o suficiente para se ajeitar até conseguir um trabalho como jovem aprendiz. Hava sabia que não era aquilo que queria, mas, como ele mesmo diz: "Pagava as contas".

Matheus Hava, modelo e ex-ambulante
Matheus Hava, modelo e ex-ambulante
Foto: Reprodução Instagram / @matheus.hava

Dono de beleza marcante, os elogios à boa forma e ao sorriso sempre foram constantes - e os incentivos para seguir a carreira na moda também. Mas a autoestima era um desafio pessoal que Matheus Hava precisava superar.

"Eu achava que isso era coisa de gente com dinheiro. Não achava gente como eu podia alcançar esses lugares", admite.

Assediado por diversas agências de modelos ao longo do tempo, a falta de ética de algumas delas afastou ainda mais o rapaz de seu sonho. Segundo ele, foram muitas as histórias de pessoas que pagavam absurdos em books fotográficos e nunca eram chamadas para trabalhos. "Eram enganadas […] e eu não tinha esse dinheiro para investir", acrescenta.

A mãe e a moda

Assim que teve seu contrato de jovem aprendiz rescindido, Matheus Hava tomou uma decisão importante: nunca mais trabalhar para ninguém. Foi então que ele decidiu retornar às raízes e trabalhar como vendedor ambulante no Rio de Janeiro. Com a receita de família sendo carro-chefe do seu negócio, passou a investir no acarajé que tanto conhecia. Mas foi com pãezinhos e outras iguarias que ele conquistou sua independência financeira. 

"Cheguei a carregar mais de 60 sacolés, pães e bolos numa térmica [...] Tudo produção minha", relembra.

Matheus Hava, modelo e ex-ambulante
Matheus Hava, modelo e ex-ambulante
Foto: Reprodução Instagram / @matheus.hava

Com a chegada da pandemia, Matheus Hava viu as vendas diminuírem cada vez mais. As contas precisavam ser pagas e, já que desistir não era uma opção, ele arranjou um trabalho numa fintech. Foi então que decidiu, em paralelo, apostar no sonho de modelar.

Em seu tempo livre, ele gastava horas com cadastros e envios de fotos para agências consagradas. Nessa peregrinação, a WAY Model, de Anderson Baumgartner, se interessou pelo rapaz e o chamou para uma seletiva.

"Quase não acreditei. Eu sonhava com esse momento. Eu estudava inglês sozinho, porque sabia que um dia iria precisar. Eu analisava vídeos de runway walk para me inspirar", conta o modelo, que rapidamente foi aprovado pela agência. 

Matheus Hava, modelo e ex-ambulante
Matheus Hava, modelo e ex-ambulante
Foto: Reprodução Instagram / @matheus.hava

Entre um trabalho e outro, Matheus Hava viu a necessidade de deixar o Rio para viver em São Paulo. Não demorou muito e recebeu o convite para assinar com uma agência alemã. Já no exterior, agradou estilistas e marcas, recebeu convites para modelar na Inglaterra.

Atualmente, é requisitado pelas grifes mais famosas do mundo, e sua rotina se tornou uma ponte aérea sem fim - assim como o orgulho de sua trajetória.

"O trabalho como ambulante foi essencial para chegar até aqui, me tornar quem sou e lutar para conquistar os meus maiores sonhos", garante.

*Com edição de Estela Marques. 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade