3 eventos ao vivo

Pausini critica repercussão 'exagerada' de morte de Maradona

Cantora comparou espaço dado ao dia contra violência à mulher

26 nov 2020
15h23
atualizado às 15h50
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A cantora italiana Laura Pausini criticou a repercussão midiática gerada pela morte do ex-jogador argentino Diego Armando Maradona, vítima de uma parada cardiorrespiratória aos 60 anos de idade.

Pausini critica repercussão 'exagerada' de morte de Maradona
Pausini critica repercussão 'exagerada' de morte de Maradona
Foto: Steve Marcus / Reuters

Em uma publicação no Instagram, a artista comparou o espaço dado pelos meios de comunicação ao ex-craque do Napoli com a repercussão sobre o "Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres", celebrado anualmente no dia 25 de novembro.

"Na Itália a despedida de um homem que é certamente muito bom a jogar futebol, mas realmente não muito apreciado por mil coisas pessoais que se tornaram públicas, é mais notícia do que o adeus a tantas mulheres espancadas, estupradas, maltratadas", escreveu.

Pausini ainda lembrou que o país europeu registrou outros dois casos de feminicídio nesta quarta-feira (25) e isso não foi a notícia mais importante da Itália. "Realmente não sei o que pensar", finalizou.

A declaração polêmica da artista recebeu diversas críticas dos usuários nas redes sociais, incluindo a também cantora italiana Fiorella Mannoia.

"Se Michael Jackson tivesse morrido ontem, teria acontecido a mesma coisa. Quando se vão homens tão amados no mundo inteiro é lógico que isso aconteça. Ele não escolheu morrer no dia mundial contra o feminicídio. Chega dessa polêmica vulgar", rebateu.

Poucas horas depois, Pausini excluiu a publicação de sua conta no Instagram.

Dono de uma habilidade rara, Maradona ganhou fama no mundo inteiro e conquistou milhares de italianos, principalmente por sua atuação com a camisa do time napolitano, o que resultou na vitória dos primeiros títulos da cidade na Série A, nas temporadas 1986/87 e 1989/90.

Veja também:

 

Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade