PUBLICIDADE

Filho de Anderson Leonardo, do Molejo, critica 'hype' em torno da morte do pai: 'Um nojo'

O cantor morreu no último dia 26, aos 51 anos, após complicações de um câncer

15 mai 2024 - 08h38
Compartilhar
Exibir comentários
Filho mais velho de Anderson Leonardo desabafou sobre o 'hype' em torno da morte do pai
Filho mais velho de Anderson Leonardo desabafou sobre o 'hype' em torno da morte do pai
Foto: @leozinhobradock via Instagram / Estadão

O filho mais velho de Anderson Leonardo, do Molejo, Leozinho Bradock, fez um desabafo redes sociais na última segunda-feira, 13. O compositor criticou o 'hype' (promoção extrema) que as pessoas estão fazendo em cima da morte do seu pai.

Filho mais velho de Anderson Leonardo desabafou sobre o 'hype' em torno da morte do pai
Filho mais velho de Anderson Leonardo desabafou sobre o 'hype' em torno da morte do pai
Foto: @leozinhobradock via Instagram / Estadão

"Essa onda de 'hype' tá um nojo. Meu pai precisa descansar, ele foi muito guerreiro, e sustentou centenas de famílias dentro dos seus 41 anos dedicados à sua carreira artística. Um pouco de noção e bom senso cai bem pra que não sejamos ridicularizados, certo?", disparou ele, sem citar nomes, nem alguma situação especifica.

Anderson Leonardo morreu no dia 26 de abril, aos 51 anos, após sofrer com complicações de um câncer na região inguinal. Além de Leozinho, o vocalista do grupo Molejo deixou outros três filhos, Alessa, Rafael Phelipe e Alice e duas netas, Andressa, filha de Leozinho e Maria Alice, filha de Alessa, que está prestes a nascer.

Durante o velório do artista, que aconteceu no dia 28 de abril, Leozinho relatou como havia sido os últimos momentos que passou ao lado do pai: "Nunca vi um cara partir sorrindo, e pude ver isso de perto. Estou aqui, com a cabeça erguida, para lembrar dos momentos bons", disse ao GShow à época.

"Ele enfrentou esse momento como um leão, nunca transpareceu, sempre quis que a gente estivesse unido e, durante o tratamento, ele nunca transpareceu dor, tristeza. Teve alegria até o último suspiro. A gana que ele tinha para vencer foi o que ele pôde me deixar como melhor legado", completou ele.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade