PUBLICIDADE

Chico Buarque faz 70 anos e segue conquistando as mulheres

19 jun 2014 08h48
ver comentários
Publicidade
Foto: Facebook / Reprodução

Beatriz, Angélica, Teresinha, Januária, Carolina, Rita, Bárbara, Ligia... Chico Buarque não só tem a figura feminina muito presente em sua obra, mas também na vida. Aos 70 anos, completados nesta quinta-feira (19), o cantor e compositor continua arrancando suspiros de mulheres de todas as faixas etárias. Mas por quê?

Deixando de lado as paixões descritas em suas canções, na vida real Chico ficou com a atriz Marieta Severo por 33 anos, de 1966 a 1999. Com ela, o cantor teve três filhas, Sílvia, Helena e Luisa. No projeto Depoimentos Para a Posteridade, do Museu da Imagem e do Som (MIS) do Rio de Janeiro, Marieta falou sobre sua relação com o homem desejado por tantas mulheres.

“Nos conhecemos quando eu estava trabalhando no espetáculo O Bicho, entre 1966 e 1967.O Chico tinha vindo ao Rio fazer um show, se não me engano, com a Odette Lara, que nessa época cantava com o grupo MPB4. O Hugo Carvana, nosso amigo em comum, o levou para assistir à peça, e, depois, quando saí, o Chico começou a dizer umas gracinhas para mim (risos). Lembro que estavam lançando aquele boneco antigo, o MUG, e ele tinha um (risos). Nós começamos a sair à beça, íamos a Copacabana, e nos tornamos namorados”, relembrou a atriz na ocasião.

Atualmente, Chico namora a cantora Thais Gulin, que é mais de 30 anos mais nova que o cantor.

Mulheres eufóricas
Há 47 anos, Chico apresentava A Banda no 2º Festival de Música Popular Brasileira, da TV Record. A época era outra, mas é impossível não reparar nos gritos histéricos das fãs, que cantavam em coro a canção do início ao fim. Àquela altura, ele já era o galã da MPB.

No livro Chico Buarque Letra e Música, o autor Humberto Werneck descreve um depoimento de Odette Lara sobre quando se apresentou com Chico no espetáculo Meu Refrão, que estreou em 1966. Segundo a artista, é impossível esquecer o suspiro feminino em uníssono que subia da plateia quando o cantor entoava o primeiro verso de Olê Olá.

Foto: Mario Canivello / Facebook / Reprodução

"Eu e o MPB4, na meia-luz do palco, começávamos a rir, e Chico esperava passar o suspiro para continuar", contou.

Chico mulher
Beleza e olhos azuis à parte, muitas mulheres afirmam que o encantamento por Chico vem de sua discrição e sensibilidade ao retratar o universo feminino. No livro Figuras do Feminino na Canção de Chico Buarque, a autora Adélia Bezerra de Meneses analisa canções em que o compositor assume um eu-lírico feminino ou em que simplesmente retrata as mulheres.

“Chico Buarque sempre foi reconhecido como um dos poetas que mais sensivelmente captam o feminino e o exprimem, traduzindo-o em palavras e música. Em sua lírica entranhadamente corporal emerge o ser e a fala da mulher, de uma perspectiva por vezes espantosamente feminina”, descreve a autora.

Entre as canções em que Chico assume o papel de mulher está Sem Açúcar, que em 1975 o compositor abordaria a violência doméstica. “Dia ímpar tem chocolate, dia par eu vivo de brisa. Dia útil ele me bate, dia santo ele me alisa. Longe dele eu tremo de amor, na presença dele me calo. Eu de dia sou sua flor, eu de noite sou seu cavalo”, diz a letra.

Músicas de Chico Buarque Músicas de Chico Buarque
Ouça e baixe Construção e os maiores sucessos da carreira de Chico Buarque. Cadastre-se agora e aproveite 7 dias inteiramente grátis do Terra Música!

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade