0

Fear the Walking Dead: Showrunners justificam a controversa morte da mid-season finale

Ian Goldberg e Andrew Chambliss explicam por que tomaram a decisão.

12 jun 2018
15h37
  • separator
  • comentários

ATENÇÃO! Contém spoilers do episódio 8 da quarta temporada de Fear the Walking Dead.

Foto: AMC/Divulgação / AdoroCinema

Os fãs não ficaram muito contentes com a morte de Madison Clark na mid-season finale de Fear the Walking Dead. Kim Dickens também não. "Eles viram a minha decepção, que eu discordei. Mas foi uma conversa respeitosa", contou a atriz ao The Hollywood Reporter.

Em entrevista concedida à Entertainment Weekly, os showrunners Ian Goldberg e Andrew Chambliss falaram sobre a contraditória decisão.

"A história que contamos é uma história sobre esperança e sobre pessoas perdendo esperança, e então encontrando novamente", começou Chambliss. "E para nós, isso significava alguém ter que fazer o último sacrifício pelo que eles acreditavam, e foi isso que Madison fez no episódio. Muito da histrória dela nessa temporada é sobre ela ter enfim encontrado um lugar para a sua família, onde eles poderiam ter uma vida melhor, e nós vimos o quão isso era importante para ela. Quando tudo isso ficou sob ameaça, ela fez de tudo para ter certeza de que sua família iria viver -- e também todas as pessoas que eles salvaram."

Fear the Walking Dead: Kim Dickens fala sobre a chocante mid-season finale

A atriz, que era uma das sobreviventes que faziam parte da série desde o primeiro episódio, não escondeu sua tristeza. "Foi chocante e decepcionante", contou à EW. "Foi de partir o coração, eu amava esta personagem [...] E estou orgulhosa de ter sido uma líder empoderada de uma série de gênero. Normalmente elas são lideradas por personagens masculinos, e foi uma honra ter tido esta experiência de ser quem toma as decisões. E também não estou nos meus 20, ou nos meus 30. Ela era uma mãe também — uma mãe feroz, e foi uma honra minha."

5 motivos por que a saída de Andrew Lincoln pode fazer bem a The Walking Dead

Sobre as eventuais trepidações de matar uma das únicas veteranas da série, Goldberg estendeu:

"Foi consequência da história que queríamos contar. É uma decisão emocional. Como fãs do universo The Walking Dead, ententemos o quanto é difícil perder um membro desta família, e existe um mundo em que estes personagens adorados vêm e vão. Ninguém está a salvo e, é claro, perder Madison é grande. E era importante que honrássemos a jornada dela, e termos certeza de que o seu sacrifício teria consequências no mundo que ela deixa para trás. E nós vimos isso ao longo do episódio."

Sem Madison e sem Nick (Frank Dillane), a segunda metade da temporada estreia no dia 12 de agosto, no AMC.

AdoroCinema

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade