PUBLICIDADE

Itália aposta no 'turismo de raízes' para atrair visitantes

Brasileiros e argentinos são os líderes desse tipo de viagem

20 out 2022 - 09h04
(atualizado às 09h16)
Compartilhar
Exibir comentários

Com dezenas de milhões de ítalo-descendentes espalhados mundo afora, o governo da Itália mira no turismo das raízes para atrair pessoas que estejam em busca de descobrir suas origens.

Vista de Gradara, um dos vilarejos mais velos da Itália
Vista de Gradara, um dos vilarejos mais velos da Itália
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Segundo a CEO da Agência Nacional de Turismo da Itália (Enit), Roberta Garibaldi, mais de 6 milhões de descendentes já visitam o país a cada ano por esse motivo, totalizando 60 milhões de diárias em hospedagens.

"É um turismo no qual apostamos e apostaremos, tendo em vista inclusive o 'ano das raízes', que será em 2024", disse Garibaldi durante um evento em Roma.

"É importante porque acontece o ano inteiro, com um pequeno pico em agosto, e envolve muitos jovens que querem redescobrir suas origens", acrescentou. De acordo com a CEO da Enit, brasileiros e argentinos lideram o turismo de raízes na Itália.

Essa forma de viajar é caracterizada por fugir do turismo de massa e buscar locais fora dos grandes centros, beneficiando cidades e vilarejos muitas vezes ignorados pelos itinerários tradicionais.

Ansa - Brasil   
Compartilhar
Publicidade
Publicidade