Magia e provocação marcam quarta noite de festival de dança

Provocações e questionamentos de Michael Clark e a magia do Cullberg Ballet dominam as apresentações do Festival O Boticário na Dança

10 mai 2015
20h42
  • separator
  • 0
  • comentários

Conceitos que sempre mudam. Provocações. Questionamentos. O Festival O Boticário na Dança tem no seu programa grupos que estão sempre procurando renovar a arte – e as apresentações de sábado (9) foram prova disso.

Foto: Gabriela Portilho / Cross Content

No Auditório Ibirapuera, em São Paulo, um público formado por conhecedores da música e também novatos na dança pôde conhecer um dos principais grupos da atualidade, a Michael Clark Company.  A apresentação trouxe momentos de provocação e questionamento, já que “animal / vegetable / mineral” trabalhou os aspectos conceituais da arte. “Adorei. O conceito do espetáculo me fez pensar nas infinitas possibilidades que podemos explorar em cena”, resumiu o ator Leonardo Miggiorin.

No terceiro ato – e o mais provocador de todos –, a música foi ficando perturbadora até que o fundo do palco começou a exibir uma sequência de dizeres aleatórios: o que? quem? por que eu? Uma chuva de pontos de interrogação foi então projetada. O espetácuo “animal / vegetable / mineral” foi um retorno ao básico, desconstruindo a narrativa teatral clássica: não há começo, meio e fim.  Teve ainda músicas de Relaxed Muscle, Scritti Politti e Sex Pistols, dentro da tradição da companhia de buscar parcerias com artistas contemporâneos.

Magia do clima noir
Enquanto isso, no Tehatro Municipal do Rio, o Cullberg Ballet mostrava como é possível construir um clima mágico e transportar os espectadores para um outro tempo e lugar apenas por meio da dança.

O espetáculo “11th Floor”, criação do coreógrafo Édouard Lock, remete ao clima noir dos anos de 1950 num ambiente em que os mínimos detalhes foram pensados: luz, figurino, música e, claro, coreografias.

A iluminação, projetada pelo próprio Lock, deu uma atmosfera de cinema ao som de jazz de Gavin Bryars. A ambientação de época foi complementada pelo figurino de Ulrika van Gelder,  com vestidos pretos para elas e traje social para eles.

A precisão encantou a plateia, que contou com muitos bailarinos e também atores e atrizes, como Gisele Fróes, Emiliano D'Avila e André Mattos. Ana Botafogo, madrinha do programa de patrocínios de O Boticário, também esteve presente para prestigiar o evento.

Workshops gratuitos
As atividades do Festival O Boticário na Dança continuam até segunda, no Rio, onde acontecem os dois últimos workshops realizados pelas companhias convidadas. A programação terá Antonio Nóbrega, às 11h, e o Balé da Cidade de São Paulo, às 14h. Os dois eventos acontecem no Teatro Cacilda Becker (Rua do Catete, 338, Rio de Janeiro) e são gratuitos.
 

Fonte: Cross Content
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade