PUBLICIDADE

Montadoras tiraram 89 carros baratos do mercado em apenas 7 anos

Em apenas 7 anos, o preço dos carros explodiu porque as montadoras reduziram a oferta de versões básicas, segundo a Bright Consulting

4 dez 2023 - 12h43
(atualizado em 13/12/2023 às 11h04)
Compartilhar
Exibir comentários
Toyota Etios, Nissan March, Fiat Uno e VW Gol: hatches que tinham versões com preços mais acessíveis
Toyota Etios, Nissan March, Fiat Uno e VW Gol: hatches que tinham versões com preços mais acessíveis
Foto: Divulgação / Guia do Carro

Em apenas 7 anos, de 2016 a 2023, as montadoras tiraram do mercado 89 carros baratos, que tinham preços mais populares e menor oferta de conteúdo. O número consta de um estudo da Bright Consulting. Segundo a empresa de consultoria automotiva, o segmento de hatches de entrada caiu de 33,7% do mercado para apenas 20,4%.

“Havia 174 versões de Hatchback Low e 19 modelos com vendas em 2016”, afirma Bruno Fracasso, analista de dados da Bright Consulting, em artigo publicado na plataforma DashAuto. “Já em 2023 há 85 versões e 10 modelos apenas.” 

Segundo a Bright, dentre os modelos que existiam naquela época, somente Peugeot 208, Hyundai HB20, Chevrolet Onix e Renault Sandero permanecem em linha. Os lançamentos foram Honda City Hatchback, Volkswagen Polo, Volkswagen Polo Track e Toyota Yaris Hatchback.

O estudo de conteúdo dos hatches compactos feito Bright Consulting aponta vários equipamentos como os maiores vilões dos aumentos de preços dos hatches compactos. Veja como a presença de alguns aumentou no total de versões:

  • Airbags frontais laterais: 13% para 86%
  • Controle eletrônico de estabilidade: 13% para 88%
  • Piloto automático: 25% para 61%
  • Indicador do cinto do passageiro: 14% para 74% 
  • Pneus com baixo atrito: 42% para 91%
  • Luzes diurnas de LED: 13% para 52%
  • Assistente de partida em subida: 13% para 87%
  • Display de áudio: 27% para 88%
  • Apple CarPlay: 11% para 85%
  • Sensor de estacionamento traseiro: 38% para 52%

“O antigo carro popular, com o mínimo de conteúdo a preços acessíveis, deixou de existir, dando lugar a veículos de entrada com duas vezes mais conteúdo tecnológico”, afirma Bruno Fracasso.

Ele explica que “algumas dessas tecnologias surgiram por regulamentação e outras por demanda do cliente”. O resultado disso foi que a população com menor poder aquisitivo teve muito menos opção para comprar um carro zero km – assim, migraram para veículos usados de menor valor e mais bem equipados. 

Segundo o estudo da Bright Consulting, a média de conteúdo dos hatches de entrada subiu de 5 para 12, e o preço inicial corrigido pela inflação, que era de R$ 47 mil, passou para R$ 72 mil.

Kardian em debate: por que a Renault precisa de um novo SUV compacto:
Guia do Carro
Compartilhar
Publicidade
Publicidade