PUBLICIDADE

Proliferação de fungo leva 930 passageiros a ficarem retidos em cruzeiro

O Viking Orion foi impedido de atracar em Adelaide, na Austrália, e ancorou a 12 milhas náuticas da costa por quase uma semana

2 jan 2023 - 13h06
Compartilhar
Exibir comentários
Navio está preso a mais de 20 km da costa australiana
Navio está preso a mais de 20 km da costa australiana
Foto: Unsplash

Um navio de cruzeiro está com passageiros retidos desde o dia 26 de dezembro graças à proliferação de um fungo no casco. Segundo a CNN, a embarcação Viking Orion, que transporta 930 pessoas, foi impedida de atracar em Adeleine, na Austrália, e está ancorada a 27 quilômetros da costa.

O fenômeno, chamado de "bioincrustração", nada mais é do que um acúmulo comum de microorganismosplantas, algas e pequenos animais na parte exterior do navio.

Apesar de rotineiro, o problema impede uma atracação segura e deve ser resolvido com uma limpeza por mergulhadores profissionais. Isso porque o contato dos organismos trazidos pelo casco do navio com habitats novos pode promover a proliferação de espécies invasoras.

O contratempo fez com que o cruzeiro perdesse vários destinos de seu itinerário, mas a expectativa é que ainda hoje a limpeza seja finalizada e o navio possa atracar em Melbourne, na Austrália. A empresa responsável pelo programa afirmou que já está trabalhando diretamente com os passageiros para um acordo de compensação pela viagem perdida. 

Antes do Viking Orion, um outro navio que viajava pela Nova Zelândia passou por problema semalhante, quando foi constatada uma infestação de caracóis na embaração. O Coral Princess, da Princes Cruises, passou por uma limpeza no dia 23 de dezembro, perdendo parte de seu itinerário, mas atracou em Christchurch, na Nova Zelândia, no dia de Natal, conforme o planejado.

Fonte: Redação Byte
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade