PUBLICIDADE

Novo estudo relaciona exercício intenso a ganho de peso

Pesquisa com roedores sugere que, após atividade vigorosa, há compensação energética que pode resultar em aumento de peso

1 abr 2024 - 16h19
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Pesquisadores da Universidade de Tsukuba, no Japão, descobriram que a atividade física intensa em camundongos pode aumentar seu peso mesmo com o mesmo padrão alimentar que grupos que praticaram exercícios moderados ou sem exercícios.
Pesquisa com roedores desafiou noções sobre emagrecimento
Pesquisa com roedores desafiou noções sobre emagrecimento
Foto: Doenertier82, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Pesquisadores da Universidade de Tsukuba, no Japão, identificaram que o exercício físico intenso pode levar ao ganho de peso em roedores.

A pesquisa, realizada com camundongos, observou que, após sessões de atividades vigorosas, os animais ganharam peso nas 24 horas subsequentes, mesmo consumindo a mesma quantidade de alimento que grupos que se exercitaram moderadamente ou que não se exercitaram.

O estudo, divulgado nesta segunda-feira (1), ainda será revisado por pares da comunidade científica.

Os pesquisadores sugerem que os resultados podem ser replicáveis em humanos. O estudo traça a proposição de que, quando se aumenta a atividade física, outros usos de energia são reduzidos para compensar, mantendo assim a energia total queimada por dia estável.

Mentir faz mal? Veja o que diz a ciência Mentir faz mal? Veja o que diz a ciência

Como foi feito

A equipe implantou dispositivos nos camundongos para medir temperatura corporal e níveis de atividade. Após uma semana de exercícios em esteira, os camundongos foram divididos em três grupos: sem exercício, exercício moderado e exercício intenso.

Os que se exercitaram intensamente reduziram a atividade física geral em cerca de 30% e tiveram uma queda de 1% na temperatura corporal após o exercício, indicando uma queima de energia menor, resultando em ganho de peso.

Os resultados apontam que a intensidade do exercício pode ser um fator mais relevante do que o gasto energético total durante a atividade física, especialmente para aqueles que visam a perda de peso. Esforçar-se em intensidades elevadas, ao ponto de reduzir as outras atividades físicas não relacionadas ao exercício, seria contraproducente. 

A equipe planeja realizar um estudo semelhante em humanos, após obter o financiamento necessário, e tornar os resultados públicos.

Fonte: Redação Byte
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade