PUBLICIDADE

Ataques cibernéticos praticamente dobraram em cinco anos, diz relatório

Análise da Trend Micro também revela aumento de quase 350% na detecção de malwares de e-mails no último ano

1 abr 2024 - 17h02
Compartilhar
Exibir comentários
Empresa registrou quase o dobro do número de ameaças vistas há cinco anos
Empresa registrou quase o dobro do número de ameaças vistas há cinco anos
Foto: Max Duzj / Unsplash

O número de ataques cibernéticos bloqueados em 2023 foi de quase 161 bilhões, representando um aumento de 10% em relação a 2022 e quase o dobro do registrado cinco anos atrás, que foi de aproximadamente 82 milhões.

O aumento das ameaças é trazido pelo balanço anual da empresa de tecnologia Trend Micro, divulgado nesta segunda-feira (1).

O estudo, focado em ataques via arquivos contaminados, apontou um crescimento de 35% neste vetor, ressaltando uma estratégia dos atacantes de selecionar cuidadosamente suas vítimas, com o objetivo de aumentar o potencial de lucro financeiro.

“Eles fazem isso contornando camadas de detecção precoce, como filtros de rede e de e-mails”, detalha Cesar Candido, diretor geral da Trend Micro no Brasil.

O relatório da Trend Micro ressalta um aumento de 350% na detecção de malwares em e-mails. Malwares são softwares maliciosos projetados para invadir ou danificar um sistema de computador sem o consentimento do usuário.

Exército, doença e até petróleo: as fraudes mais comuns em apps de namoro Exército, doença e até petróleo: as fraudes mais comuns em apps de namoro

Já as URLs maliciosas são links que direcionam para sites prejudiciais, e as tentativas de phishing são golpes que buscam enganar os usuários para obter informações confidenciais, como senhas e números de cartão de crédito, que diminuíram 27%.

Houve um incremento de 16% nas ocorrências do Business Email Compromise, também conhecido como "golpe do CEO", que é um tipo de fraude onde os atacantes se passam por executivos ou parceiros de negócios da empresa para solicitar transferências financeiras fraudulentas.

Enquanto isso, as detecções de ransomware, que são ataques onde os hackers bloqueiam o acesso aos sistemas ou dados de uma organização e exigem um resgate para liberá-los, caíram 14%. A Tailândia e os Estados Unidos foram os países mais impactados por ransomware, com o setor bancário sendo especialmente visado.

Ameaças de "Zero Day", que são vulnerabilidades de segurança ainda desconhecidas pelos criadores do software e pelo público, tiveram um aumento de 12% nas detecções, com falhas significativas encontradas em softwares como o Adobe Acrobat e Reader, usados para visualizar e gerenciar documentos em formato PDF.

A empresa aconselha as organizações a trabalharem com fornecedores de segurança confiáveis, monitorarem continuamente os aplicativos em nuvem, atualizarem sistemas operacionais e aplicativos e promoverem proteção contra vulnerabilidades.

Fonte: Redação Byte
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade