PUBLICIDADE

Acidente de trem nos EUA traz efeitos tóxicos ao ambiente e à população

Cloreto de vinila vazou após trem de carga se soltar dos trilhos em East Palestine, Ohio (EUA) no dia 3 de fevereiro

13 fev 2023 - 17h14
Compartilhar
Exibir comentários
Cloreto de vinila é usado para fazer resina em produtos plásticos
Cloreto de vinila é usado para fazer resina em produtos plásticos
Foto: Reprodução / AP

O descarrilamento de um trem de carga da Norfolk Southern em East Palestine, Ohio (EUA) no dia 3 de fevereiro está gerando sérias consequências para o ambiente. O problema maior é que dos 50 vagões em questão, dez carregavam uma substância química tóxica chamada cloreto de vinila.

Uma "liberação controlada" do produto ocorreu na segunda-feira passada (6), causando incêndio no local.

Uma névoa potencialmente tóxica e cheiros fortes foram notificados na última terça-feira (7) e havia preocupação com possível contaminação do ar da região. Famílias tiveram que deixar suas casas por ordem das autoridades.

O governador de Ohio, Mike DeWine, disse à imprensa que houve uma "mudança drástica de temperatura" em um vagão, o que poderia causar uma "falha catastrófica do navio-tanque", tornando possível uma explosão com estilhaços mortais.

Quais os efeitos disso 

O cloreto é usado normalmente na produção da resina policloreto de vinila (PVC) para fabricação de tubos de esgoto e outros plásticos, como revestimento e na manufatura de solventes clorados. 

Raramente é encontrado na água superficial, e quando ocorre, é geralmente em concentrações inferiores a 10 µg/L (micrograma por litro), segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). De acordo com um documento do órgão, há relatos da presença da substância em fontes de água subterrânea, mas isso ocorre como consequência de degradação de solventes clorados depositados no solo. 

O problema está mais no ar. Aspirar altas concentrações da substância durante longos períodos

resulta em efeitos narcóticos, fenômeno de Raynaud (branqueamento e dormência dos dedos e desconforto por exposição a temperaturas frias), angiosarcoma hepático (uma doença séria no fígado) e alterações na pele. Animais expostos ao cloreto de vinila, diz a Cetesb, apresentaram efeitos neurológicos, no fígado, na reprodução, no desenvolvimento e câncer. 

Os efeitos da queima de cloreto de vinila

Como explicou o químico Marcos Aurélio em sua conta do Twitter, a queima dessa substância liberou no ar uma enorme quantidade de gás cloro (Cl₂), fosgênio (COCl₂), ácido clorídrico (HCl) e dióxido de carbono (CO₂), gases muito tóxicos para o ambiente e os seres humanos.

Ainda assim, Aurélio contou que a queima da substância foi “um redução de danos”, já que o cloreto de vinila está associado ao aumento do risco de câncer, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer dos EUA.

Fonte: Redação Byte
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade