Verão: veja os cuidados com a pele e os pelos dos pets

A exposição excessiva à radiação solar pode causar danos à pele dos cães; veterinária explica os riscos e medidas de prevenção

19 fev 2024 - 12h00

O verão traz consigo dias mais longos, temperaturas elevadas e uma série de atividades ao ar livre para os humanos e seus pets. No entanto, essa estação também pode ser desafiadora para a saúde da pele e dos pelos dos cães.

Aprenda a proteger a pele e os pelos dos cães no verão
Aprenda a proteger a pele e os pelos dos cães no verão
Foto: Shutterstock / Alto Astral

Fatores como exposição solar intensa, aumento de parasitas e alergias sazonaispodem contribuir para o surgimento de problemas cutâneos. Desta forma, é preciso se atentar aos cuidados com a pele e pêlo dos animais.

Publicidade

"A pele dos cães, apesar de possuir uma estrutura bem parecida com a dos humanos é mais fina, exigindo atenção redobrada dos tutores com o órgão, que é responsável por formar a barreira entre o corpo do cão e o meio ambiente, evitando agressões de agentes químicos, lesões físicas e a ação de micro-organismos", explica Mariana Raposo, que é médica-veterinária.

Assim como os humanos, os cães podem sofrer danos causados pela exposição prolongada ao sol. Raças de pelagem curta ou de pele clara são particularmente mais sensíveis aos riscos de queimaduras solares. Isso pode resultar em vermelhidão, descamação e, em casos mais graves, predispor o animal ao desenvolvimento de câncer de pele. 

Portanto, é essencial aplicar protetor solar específico para pets, focando especialmente em áreas com pelagem mais fina, como focinho e orelhas. "A pelagem forma uma barreira física que ajuda a proteger o pet do sol. Porém, locais com pouco ou sem pêlo ficam mais vulneráveis à ação dos raios solares", detalha a gerente de produtos da Avert Saúde Animal.

Alergias e coceiras  

O verão também é uma época propícia para o aumento de alérgenos ambientais, como pólen e esporos de fungos. Cães alérgicos podem desenvolver reações cutâneas, como erupções, coceira e inflamação. Identificar e tratar essas alergias é essencial para garantir o conforto e a saúde da pele dos pets.

Publicidade

"As reações alérgicas podem desencadear coceira intensa, lambedura excessiva e arranhões, levando a lesões na pele e possivelmente agravando a inflamação. Além disso, o ciclo de coceira constante pode comprometer a barreira cutânea, tornando-a mais suscetível a infecções secundárias", relata Mariana.

O uso de suplementos alimentares é uma estratégia que pode auxiliar a aumentar o suporte imunológico da pele dos animais. No caso dos cães com pele sensível, a utilização de shampoos específicos, que oferecem equilíbrio do pH, ação anti-irritante, cicatrizante e antioxidante, também são opções que contribuem para a recuperação natural da pele do cão.

Controle de pulgas e carrapatos

Outro momento que requer atenção dos tutores é a hora do banho. É comum que a frequência de banhos seja maior durante a estação, desta forma é essencial assegurar que o pet fique completamente limpo e livre de qualquer sujeira, especialmente após atividades aquáticas.

No caso de cães com pelos mais longos, é recomendada uma escovação cuidadosa para remover todos os nós e possíveis emaranhados que possam ter se formado. Já no momento da secagem é preciso garantir que todas as áreas estejam devidamente secas, uma vez que a umidade pode propiciar o desenvolvimento de irritações na pele e até mesmo levar a infecções fúngicas ou bacterianas.

Publicidade

O controle de parasitas também é uma consideração importante durante o verão. O calor favorece a reprodução de pulgas e carrapatos. Esses intrusos podem causar irritação na pele dos cães, levando a coceira intensa e, em alguns casos, à dermatite alérgica. Além disso, as picadas desses parasitas podem transmitir doenças graves aos animais.

"O acúmulo de água pode interferir na barreira natural da pele, tornando-a mais suscetível a invasões patogênicas. Além disso, a umidade pode levar à maceração da pele, causando irritações e facilitando a penetração de agentes infecciosos. Certas raças de cães, especialmente aquelas com dobras, estão mais predispostas a problemas dermatológicos relacionados à umidade. Portanto, é fundamental manter a pele do cão seca após o banho", finaliza Mariana.

Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações