Camila Queiroz usa camisa listrada e bolsa branca em look leve

20 mai 2024 - 12h30

Sabe aquela peça que você pode ter por anos e sempre usar, criando looks leves e perfeitos para dias com temperaturas amenas, com um pouco de calor. Pois bem, Camila Queiroz mostrou como apostar numa peça dessas ao prestigiar, ao lado do marido Klebber Toledo, o lançamento do livro do ator Diogo Almeida "Com Afeto, Kayin, Uma Fábula Além do Espectro", neste domingo (19).

Camila Queiroz
Camila Queiroz
Foto: Roberto Filho/Agência Brazil News / Elas no Tapete Vermelho

A atriz apostou em camisa listrada em azul e branco, combinando com bolsa Chanel branca, vintage, que em sites internacionais, como eBay, aparece em torno de R$ 32 mil, como preço para o leilão proposto pela plataforma.

Publicidade
Camila Queiroz
Foto: Roberto Filho/Agência Brazil News / Elas no Tapete Vermelho

Além dessas duas peças, usou calça jeans de lavagem clara e top ou regata branca por baixo, enfatizando ainda mais o estilo fresh da produção. Para compensar, Klebber Toledo foi com look todo preto ao evento literário.

Klebber Toledo, Diogo Almeida e Camila Queiroz
Foto: Roberto Filho/Agência Brazil News / Elas no Tapete Vermelho

#ficaadica1: A camisa de Camila Queiroz tem modelagem alongada, podendo ser usada também como vestido com um shorts ou bermuda por baixo, para dias de mais calor.

#ficaadica2: As listras são eternas, ainda mais em camisas, assim como a combinação de azul e branco, que confere suavidade ao look.

#ficaadica3: O bolso e os punhos, com direção contrária ao sentido das listras da camisa, cria um ótimo jogo óptico na peça e elimina qualquer traço de monotonia no look.

Publicidade

O livro

Diogo Almeida e o garoto Jossan, inspiração para o livro
Foto: Roberto Filho/Agência Brazil News / Elas no Tapete Vermelho

O ator Diogo Almeida, protagonista de "Amor Perfeito", de 39 anos, também é psicólogo e atende crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Em entrevista ao jornal Extra, ele disse que durante a pandemia, manteve o atendimento a um garoto, na casa do paciente, sendo a única familia com quem se relacionou. O garoto Jossan, hoje com 10 anos, teve uma evolução grande, que o inspirou para o livro. Ele desenvolve com as crianças e jovens portadores d TEA a chamada Terapia do Cotidiano, dentro do próprio ambiente onde vive.

Curtiu? Fique por dentro das principais notícias através do nosso ZAP
Inscreva-se