Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Argentina confirma 1º caso de varíola dos macacos na América Latina

Espanha, Inglaterra e Portugal são os países com mais casos no recente surto da doença viral

27 mai 2022 18h30
| atualizado às 18h46
Compartilhar

A Argentina confirmou nesta sexta-feira o primeiro caso de varíola dos macacos na América Latina e informou que há outro caso suspeito da doença, de acordo com um comunicado do Ministério da Saúde.

Espanha, Inglaterra e Portugal são os países com mais casos no recente surto da doença viral fora de suas áreas endêmicas em partes da África Ocidental e Central. 

Publicidade

O Ministério da Saúde argentino confirmou o caso positivo, acrescentando que o paciente está bem de saúde e seus contatos próximos estão sob controle clínico e epidemiológico, sem apresentar sintomas até o momento. Geralmente a doença é leve. 

O ministério informou que outro caso suspeito foi registrado: um paciente residente na Espanha que visitou o país em 25 de maio e no dia 26 começou a apresentar lesões ulcerativas na pele.

Espanha, Inglaterra e Portugal são os países com mais casos no recente surto da doença viral fora de suas áreas endêmicas em partes da África Ocidental e Central. 
Espanha, Inglaterra e Portugal são os países com mais casos no recente surto da doença viral fora de suas áreas endêmicas em partes da África Ocidental e Central.
Foto: Reuters

"O paciente encontra-se em bom estado geral, isolado e recebendo tratamento sintomático. Seus contatos próximos encontram-se em rigoroso acompanhamento clínico e epidemiológico, estando todos assintomáticos até a data", acrescentou o ministério.

A maioria das infecções detectadas até agora no mundo não foi grave. Muitas, mas não todas, foram relatadas em homens que fazem sexo com homens. Os sintomas incluem febre e erupção cutânea.

Publicidade
Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações