Tire a ideia do papel e crie hoje o site para o seu negócio com até 35% de desconto

Queiroga não diz se concorda com Bolsonaro sobre cloroquina

Mesmo pressionado, ministro evitou se posicionar sobre a prescrição do medicamento no tratamento precoce do coronavírus

6 mai 2021 11h33
| atualizado às 11h45
Compartilhar

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, evitou responder à CPI da Covid no Senado, questionado pelo relator Renan Calheiros (MDB-AL), se concordava com o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro sobre o chamado tratamento precoce e sobre a prescrição de cloroquina contra o coronavírus.

Randolfe Rodrigues quer ouvir Queiroga para "elucidar se o Brasil segue no mesmo caminho de erros"
Foto: REUTERS/Adriano Machado / BBC News Brasil

Queiroga negou ter recebido qualquer orientação do presidente no sentido de promover o uso da cloroquina. Mas quando perguntado diretamente se concordava com o posicionamento de Bolsonaro, esquivou-se, afirmou que a resposta dependia de uma análise técnica, e argumentou que, como ministro da Saúde, poderá ter, em última instância, de se posicionar formalmente sobre o tema.

Publicidade

"Não faço juízo de valor acerca da opinião do presidente da República", disse o ministro.

Queiroga admitiu que sua chegada ao ministério marcou uma mudança de posição. O titular afirmou que foca sua gestão no fortalecimento do plano nacional de imunização e na intensificação da orientação da população sobre medidas não farmacológicas para evitar o contágio, como o uso de máscaras e o distanciamento social.

Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações