Tire a ideia do papel e crie hoje o site para o seu negócio com até 35% de desconto

Site da CBF retira biografia do presidente Rogério Caboclo

Ele está afastado do cargo por acusação de assédio sexual e moral

14 jun 2021 09h07
| atualizado às 09h09
Compartilhar

Numa nova demonstração de que a diretoria da CBF trabalha para que Rogério Caboclo não volte à casa, o site da confederação retirou a biografia dele do espaço reservado para a apresentação do presidente da entidade. Em seu lugar constam agora dados do seu substituto interino, o coronel Antônio Carlos Nunes.

Site da CBF retirou biografia de Caboclo, o presidente afastado
Foto: Reprodução

Em 2017, quando Marco Polo Del Nero também se ausentou do cargo provisoriamente, sob acusação de envolvimento em casos de corrupção, o coronel ocupou o mesmo posto, mas o site manteve por meses a biografia de Del Nero estampada em página de destaque.

Publicidade

Desta vez, com o dirigente máximo da entidade envolto em outro escândalo – uma funcionária da CBF o denunciou por assédio sexual e moral -, a troca feita com rapidez é simbólica. Como Caboclo bateu de frente com quase todos os diretores da entidade, há em curso uma campanha interna deliberada para que ele seja punido com sua exclusão do futebol.

Coronel Nunes agora é destaque no site da CBF
Foto: Reprodução

Figura decorativa e alvo até de chacotas de outros dirigentes da entidade, Nunes segue a cartilha de Del Nero, que foi banido do futebol pela Fifa em 2019 mas ainda se mantém como o todo-poderoso da CBF.

Na biografia do coronel no site da confederação há um parágrafo que registra a importância de seu papel para “dar sequência acelerada à renovação das práticas do futebol brasileiro no caminho da modernização, transparência e ética corporativa”.

Essa “transparência” é a mesma preconizada pelos últimos quatro presidentes da CBF: Ricardo Teixeira e Del Nero, proibidos de deixar o Brasil sob risco de serem presos pela justiça dos EUA; José Maria Marin, que ficou preso nesse país também pelos mesmos delitos de que Teixeira e Del Nero são acusados; e Caboclo, agora afastado por 30 dias pelo Comitê de Ética da CBF por causa dos assédios.

Publicidade

 

Fique por dentro das principais notícias de Futebol
Ativar notificações