Apple retira WhatsApp e Threads da App Store na China por ordem do governo

Ação contra os serviços de tecnologia dos EUA é considerada uma resposta às medidas de tentar banir a chinesa TikTok no país

19 abr 2024 - 10h45
(atualizado às 10h49)
Resumo
A Apple remover o WhatsApp e o Threads da sua loja de download, a Apple Store, na China seguindo uma ordem do regulador de internet para evitar riscos à segurança do país.
Apple retira WhatsApp e threads da Meta da App Store na China
Apple retira WhatsApp e threads da Meta da App Store na China
Foto: Forbes

A Apple anunciou que removeu o WhatsApp e o Threads de sua loja de download de aplicativos, a Apple Store, na China. Segundo a empresa, eles seguem uma ordem do regulador de internet do país, que considera que essas plataformas da Meta representam riscos à segurança da China

“Somos obrigados a seguir as leis dos países onde operamos, mesmo quando discordamos. A Administração do Ciberespaço da China ordenou a remoção desses aplicativos da loja chinesa com base em suas preocupações de segurança nacional”, disse a Apple em comunicado.

Publicidade

“Esses aplicativos permanecem disponíveis para download em todas as outras lojas onde aparecem", incluiu. 

A notícia foi veiculada com exclusividade, nesta sexta-feira (19), pelo Wall Street Journal, que citou que além das populares redes sociais da Meta, a determinação também impede que a Apple Store permita o download das plataformas Telegram e Signal. 

A ação contra os serviços de tecnologia dos Estados Unidos é considerada uma resposta às medidas dos americanos em tentar banir a chinesa TikTok no país

Em agosto de 2023, a China pediu a todos os criadores de aplicativos que se registassem no sistema do governo até ao final de março; em uma tentativa de combater fraudes.

Publicidade

O Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação (MIIT) disse que realizaria um trabalho de fiscalização desses registros de abril a junho e tomaria medidas contra aplicativos que não estivessem registrados. Os desenvolvedores de aplicativos também seriam obrigados a criar e melhorar mecanismos para lidar com “informações ilegais”.

A medida do MIIT foi mais um passo de Pequim para reforçar os controlos em todo o seu ciberespaço, forçando as empresas nacionais e estrangeiras a bloquear informações consideradas politicamente sensíveis. Além dos aplicativos, sites e modelos de IA em grandes idiomas também estão sujeitos a maiores restrições de conteúdo.

Fonte: Redação Byte
TAGS
É fã de ciência e tecnologia? Acompanhe as notícias do Byte!
Ativar notificações