PUBLICIDADE

12 de junho: veganos se relacionam com pessoas não veganas?

Em um relacionamento é muito importante ter conexão e uma certa afinidade. Os opostos podem até se atrair, mas e a convivência?

12 jun 2023 - 14h46
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: CanvaPro

Sempre que descobrem que somos veganos e que namoramos, as pessoas perguntam se as namoradas são veganas e como lidamos com isso. No nosso caso, sim, sempre nos relacionamos com veganas. Relacionamento amoroso é um assunto bastante complexo.

A ideia de que os opostos se atraem não nos parece que funciona muito bem, na prática. Mas isso é algo muito individual, cada pessoa vai lidar de uma forma, e está tudo certo, não existe uma regra.

Tem pessoas que são veganas e vão se relacionar normalmente com outras pessoas que nem sequer pensaram sobre isso, tem outras que optam por se relacionar somente com pessoas veganas, outras têm preferência por veganos, mas se aparecer um pretendente não vegano, não será um impeditivo. Aliás, encontrar veganos e veganas por aí, ainda não é tão comum. Ainda mais em pequenos municípios.

O veganismo não tem uma carta com normas a serem seguidas. Existem coisas dentro do movimento que são muito pessoais, e relacionamento é uma delas.

No nosso caso, acho que seria difícil lutar pelos direitos dos animais, enxergar a exploração e o uso de animais como enxergamos hoje, e viver com uma pessoa que se alimenta com produtos de origem animal, vive e se veste desta forma, e o veganismo faz parte da nossa vida, conversamos e falamos sobre isso, quase que diariamente, até porque, tudo que nos cerca tem exploração animal.

Falar sobre exploração animal para uma pessoa que consome produtos de origem animal, geralmente causa um certo desconforto. Sempre soa como uma catequização, mesmo sendo uma conversa natural sem pretensões.

Imagina viver uma vida toda assim, a outra pessoa precisa o tempo todo compreender que aquilo é uma conversa normal sobre a crueldade contra animais, enquanto ela come um pedaço de bife mal passado, na janta de terça-feira.

E isso vale para qualquer pessoa, para um ateu que vai se relacionar com uma pessoa com uma crença religiosa muito forte. Vale para pessoas com posicionamentos políticos muito bem definidos, e que se forem opostos dificilmente conseguiram se relacionar de forma saudável por muito tempo.

O nosso ponto é que não tem problema se relacionar com pessoas que consomem animais e derivados, mas essa relação pode ser mais complicada no dia a dia. Em termos de uso de panelas, geladeira, sair para comer fora. Por isso, ao nosso ver, é importante ter uma certa afinidade. Mas se a pessoa não for vegana, mas for aberta, não for desrespeitosa, e compreender, acho que super dá para ter um relacionamento saudável.

Se liga: 

Essa é a nossa visão sobre relacionamentos de pessoas que pensam e vivem de formas distintas. Não é uma definição ou a tentativa de dizer como é, ou como deve ser. O mundo é complexo, as pessoas são complexas e as relações, é uma mescla de pessoas complexas em um mundo complexo, então nada pode ser definitivo. Existem outras visões sobre o assunto que são muito bem-vindas.

Vegano Periférico Leonardo e Eduardo dos Santos são irmãos gêmeos, nascidos e criados na periferia de Campinas, interior de São Paulo. São midiativistas da Vegano Periférico, um movimento e coletivo que começou como uma conta do Instagram em outubro de 2017. Atuam pelos direitos humanos e direitos animais por meio da luta inclusiva e acessível, e nos seus canais de comunicação abordam temas como autonomia alimentar, reforma agrária, justiça social e meio ambiente.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade