PUBLICIDADE

Qual a diferença entre El Niño e La Niña, e como afetam o Brasil

Esses fenômenos têm efeitos opostos no clima da Terra [...]

13 abr 2024 - 10h06
Compartilhar
Exibir comentários

A temporada do El Niño está chegando ao fim, no Brasil, mas os efeitos ainda podem ser sentidos em todo o país.

Com pico, entre dezembro de 2023 e janeiro de 2024, o fenômeno, que deve ter seu fim em abril, é conhecido pelo excesso de chuva na Região Sul no inverno e na primavera, e pouca chuva, no Norte e no Nordeste, durante o verão.

O El Niño deixa também as chuvas irregulares e aumenta a temperatura em boa parte do Brasil.

Foto: Creative Commons / Viagem em Pauta

Qual a diferença entre El Niño e La Niña?

Tecnicamente, o mês de março marca a fase de enfraquecimento do El Niño, que antecede o período de neutralidade das temperaturas do Pacífico Equatorial, na costa do Peru, em abril. Em julho, porém, é esperado o início do desenvolvimento de um novo La Niña, que deve permanecer durante todo o inverno.

Mas qual é a diferença entre esses dois fenômenos opostos e cíclicos de interação oceânica-atmosférica?

Assim como explica a meteorologista Josélia Pegorim, da Climatempo, o El Niño é marcado pelo aquecimento das águas do Pacífico Equatorial, na costa do Peru, "em pelo menos 0,5°C acima da temperatura média normal e por pelo menos três trimestres consecutivos".

Já o La Niña se caracteriza "pelo resfriamento da água do Pacífico Equatorial, em pelo menos 0,5°C abaixo da temperatura média normal e por pelo menos três trimestres consecutivos".

Tanto o aquecimento e o resfriamento das águas marítimas ocorrem na superfície oceânica e em profundidade, e é responsável por grandes modificações na circulação dos ventos e na pressão atmosférica. Os resultados, que em alguns casos podem ser fatais, são "o padrão de chuva e de temperatura em diversas regiões do planeta".

"Quando nenhuma destas condições são verificadas, dizemos que o Pacífico Equatorial está em situação de neutralidade", explica Josélia.

Outono

Oficialmente, começou no último dia 20 de março, mas a Terra anda de cabeça tão quente que a gente nem sabe até quando o verão deve passar férias nos destinos turísticos em São Paulo.

Segundo o Climatempo, o fim dessa temporada será marcada ainda por onda de calor no Mato Grosso do Sul, parte oeste dos estados da Região Sul e em São Paulo, onde os termômetros registraram, nas últimas semanas, mais de 30 °C. A estação das temperaturas, supostamente, mais amenas segue até o dia 20 de junho, quando começa a temporada de inverno.

Já este final de semana, 13 e 14 de abril, é de alerta para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, onde a umidade marítima e os ventos quentes e úmidos vindos do Norte do Brasil devem causar muita chuva na região.

Foto: Libre Shot / Viagem em Pauta
Viagem em Pauta
Compartilhar
Publicidade
Publicidade