Oásis em Tocantins: descubra as belezas do Jalapão

  • separator

Em uma região isolada no leste de Tocantins, onde a temperatura média é de 30ºC, uma teia de rios, riachos e ribeirões de água límpida e transparente forma um oásis no meio do cerrado. O nome do local, Jalapão, tem origem na erva jalapa-do-brasil, planta muito comum na região. A dificuldade de acesso favoreceu a preservação do local, que recentemente foi transformado em parque estadual.

» Veja mais fotos
» Siga o Vida e Estilo no Twitter


» vc repórter: mande fotos e notícias
» Chat: tecle sobre a notícia

Jalapão abrange os municípios de Ponte Alta do Tocantins, Mateiros, São Félix do Jalapão, Novo Acordo, Santa Tereza do Tocantins e Lagoa do Tocantins, em uma área equivalente ao Estado de Recife. Suas rochas arenosas foram formadas por depósitos marinhos há muitos anos.

Em contraste à presença de seis rios na região - Sono, Soninho, Novo, Balsas, Preto e Caracol -, a paisagem é árida, com uma vegetação que oscila entre o cerrado baixo e a campina. A convivência entre matas de galeria, rios, cachoeiras, lagoas, dunas de areia, serras e chapadões de até 800 m de altura dão ao visual do local um toque exótico.

O Jalapão é perfeito para quem deseja um contato maior com a natureza em estado quase virginal. São quatro belas cachoeiras (da Velha, do Lajeado, da Fumaça e Brejo da Cama), além de dunas de 40 m de altura, com areias finas e douradas, causadas pela erosão de rochas de arenito, que proporcionam uma visão panorâmica inesquecível.

Banhar-se nos rios é experiência obrigatória para quem visita o local. O rio Formiga possui as águas límpidas e transparentes, enquanto no Fervedouro, um poço de águas cristalinas e mornas, é possível flutuar nas águas borbulhantes. E flutuar, neste caso, tem sentido literal: o local, rodeado de bananeiras e com areia branca no fundo, é uma piscina natural de 8 m de diâmetro alimentada por um lençol freático. Quando a água é lançada, forma uma bolha de ar na areia que impede que o banhista afunde. Outra opção é praticar rafting no rio Novo, cujas cachoeiras e piscinas ainda são pouco exploradas.

Também é possível ver diversas espécies animais, como tamanduás-bandeira, capivaras, raposas, gambás, macacos, onças, sucuris, cascavéis e jiboias. Entre as espécies em extinção, estão os veados-campeiros, as antas e os lobos-guarás. As aves que habitam a região são os tucanos, papagaios, araras-azuis, seriemas e emas.

Caleidoscópio de pedra
Suas formações rochosas possuem cores e formas tão variadas quanto surpreendentes. A Pedra Furada, por exemplo, é um gigantesco morro de arenito com abertura semelhante a um portão, formada pela ação do vento e da chuva. O Morro da Catedral tem formações rochosas de arenito e belezas intactas por conta da pouca exploração turística.

Aproveite a oportunidade de se banhar nas águas refrescantes e claras da cachoeira da Formiga e se deslumbrar com a cachoeira da Velha, duas pedras em forma de ferradura com 25 m de altura e 100 m de largura. Por lá, não deixe de conhecer a comunidade Mumbuca, formada por 22 famílias de descendentes de escravos. Eles produzem um artesanato requintado - chapéus, cestos, pratos, copos e chinelos de capim dourado - que só é encontrado no Jalapão.

As pousadas e pensões disponíveis em Jalapão são simples e de baixo custo e ficam, em sua maioria, na beira da estrada. As praias também estão disponíveis para acampamento e a vantagem é poder tomar banhos de mar tranquilos e demorados a qualquer momento do dia - ou da noite.

Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
Fonte: Especial para Terra
publicidade