PUBLICIDADE

GP da Bélgica é velocidade no país das melhores cervejas

Compartilhar

Uma boa desculpa para viajar ao país das melhores cervejas do mundo é o GP de Fórmula 1 da Bélgica. Com um dos traçados mais completos do campeonato, será disputado no dia 30 de agosto em Spa-Francorchamps, circuito localizado entre as duas cidades belgas que lhe conferem o nome, na região das Ardenas.

» Veja fotos

» Bruges oferece cerveja e chocolate

» vc repórter: mande fotos e notícias

» Chat: tecle sobre a notícia

A pista, composta de curvas fechadas e retas rapidíssimas, quebra a cabeça de engenheiros e estrategistas que, junto aos pilotos, trabalham duro para fazer o acerto aerodinâmico das 44 voltas.

Um atrativo que a torna mais emocionante está logo na largada: as luzes ficam a menos de 200 metros do funil da curva em cotovelo, onde o espaço é disputado roda a roda. Ao todo, são 19 curvas, algumas a serem executadas muito lentamente, mescladas a retas onde a velocidade máxima pode chegar aos 330 km/h.

Quando chove, o que na Bélgica não é raro, as estratégias se enlouquecem: já houve provas com chuvas na parte alta da pista e sol na área dos boxes. Ayrton Senna passeava pelo traçado, tanto que o conquistou em quatro oportunidades seguidas pela McLaren (de 1988 a 1991). Em 2008 foi a vez de Felipe Massa garantir o primeiro lugar pela Ferrari.

Existem pacotes e preços organizados pela própria Federação Internacional de Automobilismo (FIA), e são muito diversificados. Um adulto pode pagar de 181,25 euros apenas para assistir à corrida de domingo, ou escolher um pacote Excelente VIP para os três dias, no valor de 3.085,54 euros. Há também as opções que incluem hotéis cadastrados pelos pacotes da FIA, com diárias a partir de 60 euros, com localização em Bruxelas.

A região das Ardenas é a mais florestada da Bélgica. Fica no sudeste, na divisa com França e Luxemburgo. Próximo das cidades Spa e Francorchamps, existe o platô das Hautes Fagnes, a região mais alta do país. Varrido pelo vento, o descampado é interrompido aqui e ali ora por grupos de arbustos, ora por pequenos bosques. A fauna e a flora são típicas da região, o que levou o governo belga a tornar as Hautes Fagnes uma unidade de conservação natural.

Agência Andrés Bruzzone Comunicação

Fonte: Especial para Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra