6 eventos ao vivo

Primos transformam história em cartões postais do Recife

A primeira imagem que se tem em mente ao idealizar uma viagem ao Nordeste brasileiro é de uma praia paradisíaca, ensolarada, lar de um povo alegre e receptivo. Quem visita o Recife encontra isso e muito mais. Entre as diversas surpresas que a cidade proporciona aos viajantes estão dois lugares idealizados por primos que transformaram a paixão pela arte e história em cartões postais da cidade. O Instituto Ricardo Brennand é um complexo de edificações em estilo medieval que abriga uma vasta coleção de peças históricas como pinturas, tapeçarias, esculturas, pinturas, entre outras. Não muito longe dali, o talento do artista plástico Francisco Brennand transformou uma antiga olaria em uma imprevisível e bela instalação de arte.

» Veja fotos


» Turistas redescobrem mercado público e espaços populares do Recife
» Terceiro pólo gastronômico do Brasil, Recife agrada todos os gostos
» Siga o Terra no Twitter
» vc repórter: mande fotos
e notícias

» Chat: tecle sobre o assunto

Cercado pela Mata Atlântica, a impressão que o visitante tem ao entrar nos jardins do Instituto Ricardo Brennand é que não está em solo brasileiro. A inspiração medieval gótica das edificações - castelo, pinacoteca e biblioteca - trazem ares europeus ao ambiente. Para melhor aproveitar o passeio pelo instituto, fundado em 2002 e que prioriza a temática do período "Brasil Holandês", a sugestão é fazer uma visita guiada com os arte-educadores presentes no local.

A visita ao Castelo São João, espaço projetado para abrigar, entre outros itens, a coleção de armaria de Ricardo, classificada como a mais importante do Brasil, encanta pela variedade e beleza dos canivetes, estiletes, adagas, clavas, lanças e espadas em exposição. São mais de 3 mil peças fabricadas na Inglaterra, França, Itália, Alemanha, Espanha, Suécia, Turquia, Índia e Japão.

O destaque é para as facas e canivetes da Joseph Rodgers & Sons Limited. Fundada em 1724, em Sheffield, na Inglaterra, a cutelaria teve exclusividade na venda de peças para a Coroa Britânica durante quatro reinados, fazendo com que sua marca seja valorizada pela alta qualidade e beleza de design.

Na biblioteca, projetada para reunir mais de 100 mil volumes, há cerca de 20 mil itens, entre livros, periódicos, partituras, discos e fotografias. Entre as obras raras estão livros escritos por viajantes europeus que estiveram no Brasil desde o século XVI até o século XIV, como Jean de Léry, Hans Staden, Guolherme Piso, Johan Nieuhof, entre outros.

Mestre dos sonhos
Aos 82 anos, o pernambucano Francisco Brennand, primo de Ricardo, é uma lenda viva das artes plásticas. Com um imenso acervo de obras em exposição, entre elas desenhos e pinturas, a Oficina Brennand se destaca pela originalidade e beleza das esculturas em cerâmicas, carro-chefe do trabalho de Francisco.

O espaço começou a ser idealizado em 1971, quando as ruínas de uma olaria do início do século XX, herança do pai de Franscisco, foram transformadas em um centro de exposição para as obras do artista. Instalada nas terras do Engenho Santos Cosme e Damião, no bairro da Várzea, a oficina é contornada pela Mata Atlântica, fonte de inspiração para Brennand.

A presença constante de Francisco na oficina gera uma contínua transformação nos espaços internos e externos, alvos das intervenções do artista. Mas a obra do "mestre dos sonhos" não fica restrita à oficina, ele empresta, também, a sua genialidade ao Parque das Esculturas e ao Aeroporto Internacional dos Guararapes, entre outros lugares.

Instituto Ricardo Brennand
Horário: terça a domingo (13h às 17h)
Telefone: (81) 2121 0352
Ingresso: R$ 5

Oficina Brennand
Horário: segunda a quinta-feira (8h às 17h), sexta (8h às 16h)
Telefone: (81) 3271 2466
Ingresso: R$ 6 (meia-entrada: R$ 3)



Fonte: Especial para Terra
publicidade