PUBLICIDADE

Copa das Confederações em BH: veja dicas para curtir sem cair em roubadas

29 mai 2013 16h46
| atualizado às 16h46
ver comentários
Publicidade

Os  espaços verdes, as opções de lazer e cultura, a divertida vida noturna e a deliciosa gastronomia são apenas alguns dos ingredientes que fazem de Belo Horizonte uma das capitais mais atrativas do Brasil. Sede da Copa das Confederações, com jogos que serão realizados no renovado Mineirão, a capital mineira promete encantar os turistas vindos de diferentes países. 

Confira dicas para curtir Belo Horizonte e não cair em roubadas:
Complexo da Pampulha: situado ao norte da cidade, o Complexo Arquitetônico da Pampulha se transformou em um dos principais símbolos de Belo Horizonte. Criado por Oscar Niemeyer sob encomenda do então prefeito da capital mineira, Juscelino Kubitschek, o conjunto reúne quatro prédios do arquiteto em volta de uma lagoa artificial rodeada de árvores. A obra-prima da Pampulha é a Igreja de São Francisco de Assis,  um dos mais belos exemplos da arquitetura de Niemeyer com decorações de Cândido Portinari.

Inhotim: a 60 km da capital, no município de Brumadinho, encontra-se uma das maiores coleções de arte contemporânea do Brasil. Ali, o Instituto Inhotim conta com um acervo de centenas de obras de mais de 100 artistas nacionais e internacionais. O que faz de Inhotim um museu ainda mais especial é que a arte está exposta não apenas em suas galerias e pavilhões, mas também espalhada ao ar livre em meio a parques e belos jardins.

O Museu de Artes e Ofícios é uma opção turística
O Museu de Artes e Ofícios é uma opção turística
Foto: Wikicommons

Circuito Cultural Praça da Liberdade: maior conjunto integrado de cultura do Brasil, o projeto usou os antigos prédios onde funcionavam Secretarias do Governo de Minas Gerais na Praça da Liberdade para criar 10 espaços interativos com acervos históricos e artísticos, oficinas, planetário, cafeterias, restaurantes e lojas. Tudo num dos mais belos pontos da cidade, com um cenário arquitetônico eclético e um parque no coração do bairro de Savassi. O Arquivo Público Mineiro, A Biblioteca Estadual e o Centro de Arte Popular são alguns dos espaços que fazem parte do Circuito.

Museu de Artes e Ofícios: mais conhecido como MAO, o local conta de maneira interessante e com um rico acervo o universo do trabalho, das artes e dos ofícios ao longo da história do Brasil. O espaço cultural de 9 mil m² é o único dedicado integralmente ao assunto  na América latina,  ocupa um lindo prédio no centro da cidade.

Parque Municipal Américo Renné Giannetti: inspirado nos parques franceses da Belle Époque, o local foi inaugurado em 1897, no que foi o primeiro grande espaço verde de lazer de Belo Horizonte. Em meio a numerosas árvores, roseiras e plantas numa área de 180 mil m², o parque é, até hoje, o principal da cidade, divertindo adultos e crianças nos dias de sol da capital mineira.

Economize no táxi: na hora de chegar a um aeroporto, o táxi pode ser a opção mais rápida, mas costuma também ser a mais cara. Desde o Aeroporto Tancredo Neves, um táxi custa até R$ 85 até o centro da cidade, enquanto o ônibus executivo efetua o mesmo trajeto por R$ 18, um valor bem menor.

Belo Horizonte é uma cidade excelente para passeios a pé
Belo Horizonte é uma cidade excelente para passeios a pé
Foto: whl.travel

Reserve hotel com antecedência: tanto durante a semana, quando passam numerosos homens de negócios, como aos finais de semana, quando chegam os turistas, os hotéis de Belo Horizonte  ficam lotados. Para evitar problemas de última hora, reserve seu hotel com antecedência.

Evite os excessos: Belo Horizonte tem uma deliciosa gastronomia, geralmente acompanhada por cervejas e cachaças locais. Mas é melhor evitar excessos na hora de comer e beber, para que a noite não acabe mais cedo.

Passeie a pé: a capital mineira tem ruas, praças e parques que merecem ser explorados a pé. Não siga os reflexos de outras cidades brasileiras e aproveite para passear sem precisar dirigir ou pegar táxis.

Fique atento: apesar de ser uma das capitais mais seguras do País, Belo Horizonte não deixa de sofrer com os mesmos problemas das demais cidades brasileiras. O melhor a se fazer para evitar assaltos é estar sempre atento e não se distrair demais na hora de tirar fotos ou passear em ruas desconhecidas e escuras.

Fonte: Andrés Bruzzone Comunicação Andrés Bruzzone Comunicação
Publicidade
Publicidade