PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Superguia do HPV: tudo o que você precisa saber sobre o papiloma humano

Os vírus HPV são os principais responsáveis pelos casos de câncer de colo de útero no mundo

22 fev 2023 - 08h22
Compartilhar
Exibir comentários

Nos últimos anos, ouvimos falar muito sobre o HPV, ou o papilomavírus humano. Isso porque, nos últimos anos, a vacina contra o HPV entrou para o Calendário Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde para meninos e meninas, tudo com o objetivo de evitar a disseminação do vírus e o aumento das principais doenças relacionadas a ele. 

Listamos tudo o que você precisa saber sobre HPV
Listamos tudo o que você precisa saber sobre HPV
Foto: Gustavo Fring / Pexels/Divulgação / Boa Forma

O QUE É HPV? 

Para começar do princípio, vamos entender o que é HPV. Como dito acima, HPV é uma sigla para "vírus do papiloma humano", um conjunto com mais 200 tipos de vírus, a maioria transmitidos por sexo vaginal, anal ou oral. Ou seja, o HPV é considerado parte das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). 

De acordo com a Dra. Aline Scarabelli , infectologista e consultora médica do Labi Exames, esses vírus são divididos em dois grupos: baixo e alto risco. 

  • Baixo risco : podem causar verrugas nos órgãos genitais, ânus, boca ou garganta.
  • Alto risco : podem causar vários tipos de câncer. Existem 14 tipos de HPV de alto risco, como HPV 16, 18, 31, 33, 35, 39, 45, 51, 52, 56, 58, 59, 66 e 68. Dois deles, o HPV16 e HPV18, são responsáveis pela maioria dos cânceres.

COMO O HPV É TRANSMITIDO? 

"A infecção por HPV é transmitida entre parceiros sexuais através de qualquer contato íntimo pele a pele, incluindo sexo vaginal-peniano, sexo peniano-anal, sexo oral-peniano, sexo vaginal-oral, uso de brinquedos sexuais ou outros objetos", explica a especialista. "Pode acontecer mesmo quando uma pessoa não apresenta sinais ou sintomas aparentes."

QUAIS OS RISCOS DE CONTRAIR HPV? 

Na maioria dos casos, o HPV desaparece sozinho, sem apresentar sintomas ou deixar sequelas. Porém, quando isso não ocorre, pode causar problemas de saúde como verrugas genitais e câncer. Além disso, o estágio do câncer resulta em outros problemas de saúde decorrentes da infecção. 

QUAL O PAPEL DA VACINAÇÃO NA LUTA CONTRA O HPV?

"A vacina contra o HPV é recomendada para prevenir infecções e cânceres por HPV", reforça a Dra. Aline. "Essa proteção é imprescindível, pois se estima que sua aplicação previne até 90% dos cânceres relacionados ao HPV, oferecendo maior proteção quando administrada entre 9 e 12 anos. Vale lembrar que a vacinação é uma prevenção e não cura de uma infecção depois de contraída."

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os cânceres mais comuns causados pelos vírus HPV são os de colo de útero (70%), o terceiro mais incidente em mulheres no Brasil. De acordo com o INCA, o Instituto Nacional do Câncer, em 2023 foram registrados mais de 17 mil novos casos desse tipo de câncer, uma média de 13,25 casos para cada 100 mil mulheres. 

QUAIS OS PRINCIPAIS SINTOMAS DE HPV?

Aí é que está a importância da vacinação: a infecção por HPV de alto risco geralmente não causa sintomas, principalmente em caso de infecção no colo do útero. 

"Já as lesões pré-cancerosas causam sintomas como coceira ou sangramento em outros locais do corpo", explica a Dra. Aline. "E no caso de uma infecção por HPV se transformar em câncer, os sintomas podem ser sangramento, dor ou gânglios inchados, dependendo do local afetado."

EXISTE TRATAMENTO PARA HPV? COMO FUNCIONA?

Não exatamente. De acordo com a infectologista, não existe tratamento para o vírus em si, porém, nos casos de verrugas genitais podem ser usadas pomadas ou a realização de cauterização das lesões. 

Mais uma vez, é por isso que a vacinação é tão importante: ela previne a disseminação dos vírus HPV, impedindo o surgimento de sintomas ou o desenvolvimento de lesões pré-cancerosas ou de cânceres. 

Veja quem pode se vacinar: 

  • Meninas de 9 a 14 anos
  • Meninos de 9 a 13 anos
  • Pessoas de 9 a 26 anos vivendo com HIV

Para pessoas fora dessas faixas etárias, a vacinação pode ser feita pelo sistema de saúde privado.

Boa Forma
Compartilhar
Publicidade
Publicidade