PUBLICIDADE

Prótese com salto alto ajustável é novidade da Feira Hospitalar 2024

Evento acontece entre os dias 21 e 24 de maio na cidade de São Paulo e traz inovações em tecnologias da saúde

15 mai 2024 - 06h25
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Conheça o "pé" que permite que as pessoas amputadas usem de maneira confortável e segura calçados com diferentes alturas de salto.
Karina Neves Matos aprovou sua experiência de usar salto alto com a prótese
Karina Neves Matos aprovou sua experiência de usar salto alto com a prótese
Foto: Divulgação

Entre os dias 21 e 24 de maio acontece na capital paulista a Feira Hospitalar, um dos mais importantes eventos sobre inovações na área de saúde da América Latina. A expectativa da organização é receber cerca de 90 mil visitantes e 1,2 mil expositores de aproximadamente cem países. Com diferentes novidades no setor, uma delas chama a atenção pela praticidade para utilizadores de próteses nos membros inferiores: trata-se de um "pé" que permite que as pessoas amputadas usem de maneira confortável e segura calçados com diferentes alturas de salto.

O equipamento é chamado de Taleo Adjust, que será lançado oficialmente durante a Feira Hospitalar. A tecnologia é uma nova versão do pé protético Taleo, que foi lançado no Brasil em 2019. O componente é desenvolvido pela Ottobock, empresa alemã que pesquisa e fabrica componentes de tecnologia assistiva para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, como próteses, órteses e cadeiras de rodas.

Segundo a empresa, o equipamento tem como material principal o carbono, o que traz resistência ao componente. A prótese foi projetada para que os utilizadores possam modificar a altura do salto entre 0 até 7 centímetros, conforme a necessidade diária. Dessa forma, a prótese atende aos desejos dos utilizadores em diferentes ambientes e ocasiões. 

O ajuste do alinhamento do componente, segundo a empresa, é simples e pode ser feito pela própria pessoa, sem necessidade de ferramentas. 

Experiência inovadora

A novidade foi recebida como uma surpresa e aprovada pela analista de treinamento Karina Neves Matos, de 44 anos. Moradora de Belo Horizonte, ela sofreu um acidente de carro em novembro de 2013 enquanto dirigia em uma estrada entre a capital mineira e a cidade de Divinópolis. Após uma derrapagem, o carro perdeu o controle e, na sequência houve a colisão do veículo com o guard rail, e Karina teve um dos pés amputados no momento do acidente. Com isso, precisou usar uma prótese. Ela estava há cerca de dez anos sem usar sapatos de salto e teve a experiência de utilizar o novo pé protético antes do lançamento.

A analista de treinamento disse que “nem se lembrava mais” como se usava um sapato de salto ao colocar a nova prótese. 

“Na hora de usar fiquei com um pouco de medo, mas achei o equipamento muito bom e diferente do que já havia no mercado. Eu acho importante ter essa possibilidade e a experiência de ajustar o equipamento não apenas para saltos, mas também para outros tipos de calçados”, comenta.

Karina fala também que uma das características que mais chamou a atenção na prótese é a comodidade, além de facilidade no ajuste da altura. 

“Para quem usa calçados mais altos, não apenas mulheres, como homens que precisam de sapatos sociais, ou até mesmo um tênis, é uma alternativa para situações que nós, que usamos próteses, geralmente temos mais dificuldade”, diz.

O diretor de academy da Ottobock na América Latina, Thomas Pfleghar, comenta sobre a adaptação de pessoas amputadas a componentes novos como esse. 

“Assim como o caso da Karina, que ficou surpresa com a novidade, isso pode acontecer com qualquer pessoa, em maior ou menor grau. É natural, pois o processo de se acostumar com novas próteses varia de pessoa para pessoa, mesmo que seja uma tecnologia que traga um benefício para a rotina. Por isso é importante buscar os especialistas e clínicas para a reabilitação, para ter a diretriz necessária na adaptação”, comenta. 

Novos componentes

A empresa leva ao evento mais duas novidades em tecnologia assistiva. Uma delas é o encaixe protético ajustável Varos. O encaixe é a parte que liga a prótese ao membro residual do corpo humano e, por isso, o conforto e a segurança são fundamentais nessa peça. O Varos possibilita ao utilizador moldar seu tamanho e largura conforme alterações corporais, como peso e necessidades diárias. 

“O encaixe foi projetado para pessoas que tenham amputação transfemural, ou seja, acima do joelho. Os utilizadores podem realizar os ajustes desde o início da adaptação. A modelagem mais flexível do componente possibilita conforto para as pessoas amputadas, além de facilidade para colocar e retirar a prótese”, avalia o diretor.

A outra novidade é o adaptador Quickchange, que traz a possibilidade de pessoas amputadas fazerem alteração dos seus componentes protéticos, ligados ao encaixe, de forma independente em apenas um click. 

“Isso facilita que pessoas que necessitem utilizar vários componentes no mesmo dia, em diferentes ocasiões, como atletas de alto rendimento, por exemplo, possam fazer a troca de equipamentos de uso diário para as próteses de corrida com maior agilidade”, comenta Thomas. O Quickchange é à prova d'água e, quando combinado com outros componentes também à prova d'água, pode ser utilizado sem preocupação.

Serviço 

Feira Hospitalar 2024

Quando: de 21 a 24 de maio

Horário: das 11h às 20h

Local: São Paulo Expo

Endereço: Rodovia dos Imigrantes, 1,5 km - Vila Água Funda, São Paulo - SP

(*) HOMEWORK inspira transformação no mundo do trabalho, nos negócios, na sociedade. É criação da Compasso, agência de conteúdo e conexão.

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade